Fluminense

Forte na área, bem na dividida e precisa de ajustes na saída de bola: características do zagueiro Rafael Ribeiro, reforço do Fluminense

Foto: Caio Falcão/CNC

O primeiro reforço do Fluminense para 2021 já chegou no Rio de Janeiro. O zagueiro Rafael Ribeiro, que estava no Náutico, desembarcou no Rio de Janeiro na manhã de segunda-feira para se apresentar ao clube carioca. O jogador de 25 anos chega por empréstimo com opção de compra fixada de 50% dos direitos econômicos. Na temporada 2020, o atleta fez 38 partidas e marcou dois gols. Revelado pela equipe pernambucana, ele estreou entre os profissionais em 2017.

Diante do acerto entre o jogador e o clube carioca, o Esporte News Mundo procurou o treinador do Timbu, Hélio dos Anjos, que deu bastante oportunidade ao jogador para comentar sobre as características de Rafael Ribeiro. Ele destacou que ficou insatisfeito com a saída do defensor para o Fluminense.

– De minha parte é uma insatisfação muito grande de ele está deixando o Náutico. Mas quando eu cheguei, o clube, o jogador e os agentes já tinham acertado a ida dele para o Fluminense. Náutico está perdendo um belíssimo valor. Jogador alto, agressivo, leve, tem uma ótima construção de jogo, bom passe, condição técnica privilegiada. Não tive nenhum problema com ele no um contra um. Gosto muito, porque ele toma conta da área, tanto por baixo como na bola aérea, principalmente. Vai muito bem na bola ofensiva, mas precisa de alguns acertos de tempo de bola. Mas isso não é defeito, é coisa para se treinar, para se fazer – disse ao ENM.

Hélio dos Anjos ressaltou que como atleta precisa de ajustes. Além disso, acredita que se Rafael Ribeiro tiver paciência e foco pode conquistar espaço dentro da equipe do Fluminense.

– Fiquei super satisfeito com todos os jogos que ele fez, não tive problema nenhum. Diminuímos, inclusive, o número de gols tomados com a entrada dele. E mais uma vez repito, não gostaria mesmo de ter perdido esse jogador, mesmo que pelo Fluminense. Estou falando daquilo que eu gostaria de ter na minha equipe. Acredito que se ele tiver uma certa paciência e foco ele consegue um certo espaço no Fluminense, principalmente, pelas virtudes que ele tem. Os pequenos defeitos vão ser corrigidos com o tempo, porque é muito jovem – complementou.

Para fechar, o treinador do Náutico também comentou sobre a personalidade dentro e fora de campo de Rafael Ribeiro. Hélio destacou a vontade de jogar, que faz toda a diferença para qualquer atleta.

– Dentro da convivência, ele é um garoto sossegado. Acho até que é um pouco introvertido. Eu sou muito simples com jogador. Não ter medo de jogo, quer dizer muita coisa, principalmente, se tratando de zagueiro. Acredito que em questão de personalidade, ele não vai deixar de criar carreira no Fluminense ou em qualquer outro lugar. Vejo muita coisa positiva nele, neste sentido.

Foto: Divulgação/Náutico

Rafael Ribeiro teve muitos problemas entre 2018 e 2019. Assombrado por lesões, o zagueiro nunca conseguiu ter uma sequência consistente de jogos. Em 2020, no entanto, ele bateu seu recorde pessoal de jogos em uma só temporada.

No seu primeiro como profissional, em 2017, ainda era um garoto de 21 anos, recém-promovido da base. Atuou só sete vezes. No ano seguinte, em 2018, mais consolidado, dobrou: jogou 15 vezes. Em 2019, no entanto, a evolução foi interrompida. Ele fez só uma partida a mais do que no anterior. Foram 16 jogos na última temporada.

Rafael Ribeiro já deve ter conhecido as instalações do Fluminense. Para o setor, o zagueiro terá que “brigar” com Nino e Luccas Claro, que são os titulares, além de Matheus Ferraz, Frazan e Luan Freitas. O último tem apenas 19 anos, mas foi titular no Campeonato Brasileiro Sub-23 e já treina com os profissionais.

OPINIÃO DOS SETORISTAS

Mateus Schuler (Portal Pernambutático): Acompanhei bem o Náutico na Série B. Rafael Ribeiro não era unanimidade para jogar, mas tem como ponto forte a bola aérea e consegue ter boa visão para os cortes. O maior defeito dele, porém, é a saída de jogo, pois tem muitas dificuldades com a bola no pé. Poucas vezes ele ganhou bolas rasteiras, inclusive, o que gera uma tendência ao erro.

Anderson Gomes ( Rádio Transamérica): É um garoto da base, depois foi para o Sub-23 e no ano passado foi só regular. Esse ano ele melhorou um pouco. Um jogador alto, tem como característica a bola cruzada, ele é muito bom por cima pela altura que ele tem. Tanto na bola alta ofensiva, como na defensiva. O problema dele é a com bola no pé. Para sair jogando por exemplo, ele tem uma deficiência imensa para dá um passe, começar o jogo. Ele quer sempre fazer ligação direta. Mas é um garoto ainda está em um processo de aprendizagem e pode apresentar melhora neste quesito. Tem muita força física, apesar de ser muito novo, é muito forte para uma dividida, disputa de bola, mas precisa evoluir tecnicamente.

Paulo (TV Jornal SBT): Rafael Ribeiro é um jogador da base do Náutico. Ele nunca inspirou muita confiança, porque ele não é muito técnico, mas é um jogador de força e de bola aérea. E cresceu nesta reta final de Série B. Hélio dos Anjos disse que se tivesse sido consultado antes da negociação, ele vetaria a saída do Rafael para o Fluminense, porque ele gosta do futebol do atleta. Sendo muito sincero, eu vejo o Rafael hoje para composição de elenco no Fluminense para crescer, para ganhar uma certa “canja” no Fluminense, mas para chegar em ser titular absoluto do Fluminense, confesso que acredito nisso não. Agora, futebol é muito de encaixe confiança, e ele pode crescer na equipe do Fluminense.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top