Bahia

Após críticas por anúncio de Gadu, Bellintani rebate: ‘Não serei o presidente do cancelamento’

Confirmando a ampliação do investimento do Bahia ao futebol feminino, o Tricolor anunciou durante a semana o retorno da centroavante Gadu, de 24 anos, para reforçar as Mulheres de Aço. O contrato tem duração até 30 de junho de 2022.

Maior artilheira da história do clube com 32 gols em 15 jogos, Gadu está na 72ª colocação geral no ranking que inclui também os homens. Pelo Tricolor, a camisa 9 conquistou o título do Campeonato Baiano 2019 de maneira invicta, sendo artilheira com 21 gols em 9 partidas, assim como o Acesso no Brasileirão em 2020, onde também foi a maior goleadora, com 11 gols em 6 jogos.

Mas, a contratação não agradou a torcida. A atacante, em fevereiro deste ano disse que chegou a passar fome no clube. O fato foi negado pela direção do Bahia.

‘Primeiro eu pensei bastante na minha vida, preciso de desafios novos, conquistei muitas coisas aqui e vou ser grata com isso. Mas tiveram algumas coisas dentro do Bahia que me preocuparam. Questão de preocupação com alimentação, falta de alimentação em viagens, falta de alimentação no alojamento, situações quando eu me machuquei, de outras atletas que estavam passando na fisioterapia. Muitas coisas que foram juntando, virou uma bola de neve e pesou na minha decisão’, afirmou a centroavante, na época.

Também veio à tona que jogadora teria agredido sua ex-namorada. Uma das torcidas organizadas Bahia, as Tricoloucas, protestaram contra a chegada de Gadu.

Pressionado pela torcida e pela imprensa, o presidente Guilherme Bellintani se pronunciou em uma entrevista que ocorreu na última quinta-feira(15), através do aplicativo do clube “Sócio Digital”.

‘Gadu saiu daqui desgastada, falando mal do clube e não teve uma postura adequada. Teve um desgaste grande. […] As pessoas erram e cometem erros muito graves e crimes, inclusive. Mas, eu sou uma pessoa que acredita muito que ninguém pode ser cancelado pela sua eternidade, se a própria pessoa pode olhar pra trás e fazer uma revisão dos seus erros e das suas circunstâncias’

Bellintani continuou falando sobre perdão e que não vai adotar a moda da atualidade, como a cultura do cancelamento.

‘A capacidade de perdoar, de ser tolerante, de entender que as pessoas erram. Algumas cometem erros mais graves e outras menos graves. A capacidade de entender que as relações humanas são complexas e deve ser avaliadas no seu todo, inclusive na capacidade de transformação de cada um, isso deve ser levado em consideração sempre. Eu não serei o presidente do cancelamento. Não serei.’

E finalizou dizendo: ‘Não vou passar a mão na cabeça de ninguém, mas longe de mim instituir, enquanto eu for presidente, uma cultura do cancelamento das pessoas’.

Sobre as ofensas ditas sobre a instituição, Bellintani afirma que mancha a imagem do clube e que a jogadora se arrepende do que fez.

Dito isso, Gadu fez uma postagem através das redes sociais demonstrando arrependimento do que foi exposto no início do ano.

‘As últimas 24 horas foram doídas, mas aqui estou, de peito aberto.

Resolvi vir aqui falar com vocês como Evelyn, mulher de 24 anos, mãe de Théo, de 5. Aprendi desde cedo onde cresci, a ter responsabilidade pelos meus atos. Por isso, ainda que possa parecer tarde, preciso pedir perdão à torcida tricolor, algo que já tinha feito ao clube. Como acontece com muitas pessoas em momentos de pressão, não consegui lidar bem com algumas situações na época da saída do Bahia, no início deste ano. Onde também estava mexida com a lesão, e tomei decisões ruins. Errei em falar coisas das quais não tinham necessidade.

Devo desculpas públicas também à minha ex- noiva Juliana, sinto muito pela sua dor, e que me arrependo profundamente disso. Não apenas por ter sido algo que envolveu ela, mas também por ela ser mulher. Me envergonho e já falei diretamente a ela, a quem agradeço por me perdoar e acreditar na evolução das pessoas.

Mesmo tendo possibilidade de permanecer disputando a Série A1, decidi voltar ao Bahia e a Salvador com o objetivo de reparar essas questões que me atingiam enquanto ser humano e continuar a história que tenho no clube da forma mais honesta e sincera. Este é o lugar onde fui acolhida e espero um dia poder sentir esse abraço novamente.’

Encerrando o assunto, Bellintani afirmou que prefere ser cancelado do que participar da cultura do cancelamento.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top