Cruzeiro

Gilvan rebate críticas de Alvimar Perrella e defende seu mandato enquanto esteve no Cruzeiro

Foto: Divulgação/Cruzeiro

Ex-presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares rebateu as críticas de Alvimar de Oliveira Costa, outro antigo mandatário do clube estrelado. Gilvan usou o canal “Amigos do Gilvan”, no Facebook e gravou um vídeo de mais de 18 minutos, defendendo sua gestão a frente do Cruzeiro e se isentando da culpa pelo momento atual em que o clube atravessa.

Alvimar Perrella concedeu, na último sábado, uma entrevista ao portal Suoeresportes, na qual destacou que o mandato de Gilvan Tavares e Wagner Pires de Sá, entre os anos de 2012 e 2019, arruinaram a questão administrativa do clube e elevou a dívida da Raposa para mais de R$ 1 bilhão.

Durante o vídeo, Gilvan se defendeu, disse que Alvimar foi injusto em sua fala e comentou a gestão de Wagner Pires, que, segundo ele, tinha condição de sanar os débitos cruzeirenses. Confira o que foi dito:

Veja também: Recuperado de edema cardíaco, Zé Eduardo passará por exames e pode ser reintegrado ao elenco do Cruzeiro

— Ele está sendo injusto. Quando eu era presidente, não tinha nenhuma dívida vencida na Fifa. Elas estavam sendo discutidas, nosso advogado achava que poderíamos ganhar ou diminuir aqueles valores. Não é justo me acusar de ser devedor e ter criado todos esses problemas para o Cruzeiro na Fifa.

Com a negociação dos direitos econômicos de jogadores como Arrascaeta, Raniel, Lucas Romero, Murilo, Gabriel Brazão e Vitinho, de acordo com Gilvan, a gestão de Wagner Pires de Sá e Itair Machado tinha condições de deixar o Cruzeiro em melhores condições financeiras. Veja:

— Somando tudo isso, são R$200 milhões no mínimo que deixei nas mãos da administração que me substituiu. E quanto era a dívida da Fifa?  R$50 milhões. Só a venda do Arrascaeta era para pagar.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top