Lutas

Dez grandes trilogias que marcaram a história do UFC

10 grandes trilogias UFC
Reprodução/UFC

Estamos próximos de mais uma grande luta entre Stipe Miocic e Daniel Cormier. O palco será o UFC 252 no próximo dia 15 de agosto, e este será o terceiro combate entre ambos, completando assim mais uma histórica trilogia no mundo do MMA.

No UFC 226, deu Cormier por nocaute. No UFC 241, deu Miocic também por nocaute. E agora? Quem sairá como vencedor dessa trilogia?

Pensando nisso, o Esporte News Mundo resolveu relembrar 10 grandes trilogias da história do UFC.

10 – Nate Diaz x Gray Maynard

Uma rivalidade que chegou até ser pessoal. Em 2007, Diaz e Maynard se enfrentaram pela primeira vez na semifinal de The Ultimate Fighter (TUF) 5, onde Diaz levou a melhor naquele duelo e na própria competição. Três anos depois, ambos protagonizaram o evento principal de um dos UFC Fight Night, e Maynard venceu dessa vez. A vitória veio por decisão dividida, e Diaz não engoliu muito bem o resultado, contestando a posição dos juízes. O último combate entre os dois foi no evento que marcou a final do TUF 18 em 2013. Com a última derrota engasgada, Nate Diaz venceu por nocaute técnico e saiu como vencedor.

9 – Cigano x Cain Velásquez

Nessa trilogia, todas as três lutas valeram o cinturão peso-pesado e como uma boa trilogia no UFC, uma vitória para cada lado nos dois primeiros confrontos. Em 2011 deu Cigano, e em 2012, Cain recuperou o cinturão. Já em 2013, no último embate entre os dois, o mexicano levou a melhor por nocaute.

8 – BJ Penn x Matt Hughes

O ano era 2004, e o campeão dos meio-médios era Matt Hughes. BJ Penn por sua vez, vinha de outra categoria e resolveu subir para os meio-médios para desafiar o campeão. Hughes ironizou, citando que Penn não tinha conseguido o cinturão nem de sua divisão anterior (leve), e queria chegar já lutando pelo título. Pois BJ Penn mostrou superioridade no octógono e finalizou Hughes com um mata-leão histórico. A revanche viria em 2006, na luta que foi eleita a melhor do ano. Hughes venceu por nocaute técnico. O último combate veio no UFC 123 em 2010, quando mais uma vez Penn ‘atropelou’, nocauteando seu adversário com 21 segundos de luta.

7 – Tim Sylvia x Andrei Arlovski

Mais uma vez, temos uma trilogia onde ambas as lutas valeram o cinturão. No UFC 51 em 2005, Andrei Arlovski venceu o primeiro encontro em uma disputa pelo cinturão interino dos peso-pesados. Em 2006, já como campeão, o americano Tim Sylvia defendeu seu título duas vezes contra Arlovski e saiu com o triunfo em ambas, tanto no UFC 59 quanto no UFC 61.

6 – Forrest Griffin x Tito Ortiz

Duas lendas do MMA, que protagonizaram três grandes embates no UFC. No primeiro deles, no UFC 59 em 2006, Tito Ortiz saiu com a vitória. Já em 2009, foi a vez de Griffin ter sua revanche e sair com o triunfo. E para encerrar a trilogia, mais uma vitória de Griffin que sacramentou a aposentadoria de Ortiz dos octógonos do UFC.

5 – Frankie Edgar x Gray Maynard

Se não é a maior rivalidade entre as trilogias do UFC, Edgar x Maynard foi talvez mais acirrada e equilibrada dentro dos ringues. O primeiro dos embates foi em abril de 2008, e Maynard foi muito superior, vencendo por decisão unânime. Já em 2011 no UFC 125, Frankie Edgar era o campeão peso-leve, e viu Maynard como próximo desafiante por seu cinturão. LUTAÇA! Começo arrasador de Maynard, e equilíbrio na raça de Edgar. Aquela luta ‘lá e cá’ que nós fãs gostamos. Resultado? Empate! Sim. Frankie Edgar ainda era o campeão, mas continuou sem vencer seu rival. Até que naquele mesmo 2011, no UFC 136, ambos voltaram a se enfrentar pelo cinturão, e Edgar enfim conseguiu vencer Maynard (e por nocaute).

4 – Georges St-Pierre x Matt Hughes

St-Pierre estava invicto no UFC, até encarar Matt Hughes pelo cinturão meio-médio que estava vago. No UFC 50 em 2004, Hughes venceu com um arm-lock e ficou com o cinturão. O destino colocaria os dois frente-a-frente novamente em 2006, no UFC 65. Hughes ainda era o campeão e St-Pierre venceu sua revanche por nocaute técnico. O capítulo final dessa trilogia foi disputado no UFC 79, e mais uma vez pelo cinturão. Coincidentemente, o fim da terceira luta foi o mesmo da primeira, só que com outro vitorioso. St-Pierre finalizou Hughes com um arm-lock.

3 – Randy Couture x Vitor Belfort

Ainda nos primórdios do UFC, em meados de 1997, Vitor Belfort vinha de sequência invicta e era o grande favorito contra Randy Couture no UFC 15. Mas o que se viu, foi um Randy controlando boa parte do combate e anulando os pontos fortes do brasileiro. Vitória surpreendente de Randy por nocaute técnico. A revanche viria sete anos depois, valendo o cinturão dos meio-pesados no UFC 46. Couture era o campeão, e Belfort vinha faminto para seu primeiro cinturão na companhia. E vimos mais um resultado surpreendente. Ainda no 1º round, Vitor soltou um gancho de esquerda, que passou raspando Couture. Porém, ‘sobrou’ um dedo no olho de Couture. O então campeão acabou sentindo e o médico o impediu de voltar para o combate. Como o golpe não foi ilegal, vitória e cinturão para Vitor Belfort.

Obviamente haveria uma última revanche e ela veio no UFC 49 ainda em 2004. Aí Couture não teve piedade e ‘amassou’ o brasileiro, dando fim à trilogia.

2 – Tito Ortiz x Ken Shamrock

Chegamos à uma das maiores rivalidades do UFC, mas que não teve um equilíbrio tão grande em sua trilogia. Três anos antes de se enfrentarem pela primeira vez, Tito Ortiz e Ken Shamrock se envolveram em confusão generalizada em 1999, onde as equipes de ambos chegaram às vias de fato. Já em 2002 dentro do octógono, e na mesma categoria (meio-pesado), Ortiz era o campeão e Shamrock não lutava há seis anos. A falta de ritmo pesou e muito para o veterano, e Ortiz levou a melhor.

Quatro anos depois, e ainda com a rivalidade em alta, Shamrock voltou à atividade para ser técnico do TUF. Advinha quem era o técnico adversário? Sim, Tito Ortiz. O final disso, ocasionou uma luta no UFC 61, com mais uma vitória por nocaute de Ortiz. Mas Shamrock contestou o resultado, dizendo que o juiz interrompeu rápido demais. Advinha o que o UFC fez? Mais um combate.

O evento chamado “Ortiz vs. Shamrock 3: The Final Chapter”, repetiu o sucesso de divulgação das duas primeiras lutas, e bateu recordes de Pay-Per-View. Mas o que não mudou, foi o resultado. Mais uma vitória de Tito Ortiz, com mais um nocaute, dessa vez incontestável.

1 – Chuck Liddell x Randy Couture

Randy Couture estava em fim de carreira e foi ‘jogado’ para um combate em outra divisão. Saiu dos peso-pesados para os meio-pesados, para enfrentar o atual campeão Chuck Liddell no UFC 43. Surpreendentemente, Couture ficou com a vitória e conquistou o título, sendo até então, o único lutador a conquistar o cinturão em duas categorias diferentes. Obviamente, o combate deixou um ‘gostinho de quero mais’. Foi criado então o formato TUF, e os primeiros técnicos foram justamente Liddell e Couture. Como é de costume, os treinadores se enfrentaram no final do torneio, mais especificamente no UFC 52. O troco veio, e Liddell nocauteou o veterano.

Mas como uma boa rivalidade ‘empatada’, precisávamos de uma terceira luta, e tivemos então um dos Pay-Per-Views mais bem vendidos da história do UFC. E ambos os lutadores fizeram por onde. LUTAÇA! Primeiro round intenso e com trocação franca. Mas na volta do intervalo, Liddell acertou um gancho daqueles e acabou com uma das maiores trilogias de todos os tempos. Na entrevista após o combate, Couture anunciou sua aposentadoria (que durou apenas um ano).

Siga o perfil do Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

1 Comment

1 Comment

  1. Pingback: UFC 252: Confira o card completo do show deste sábado(15)

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top