Automobilismo

Hamilton ou Verstappen: quem teve culpa na batida? Especialistas opinam

batida Hamilton
Divulgação / Twitter F1

A polêmica em torno da batida entre Max Verstappen e Lewis Hamilton no GP da Inglaterra não terminou com a punição de 10 segundos para o inglês. Durante a prova e após a vitória do heptacampeão, o debate foi intenso nas redes sociais e na mídia, em uma tentativa de entender o que houve e se algum dos pilotos pode ser considerado culpado pelo incidente.

O Esporte News Mundo reuniu algumas opiniões de especialistas sobre o momento crucial em Silverstone. A batida de Hamilton foi proposital? Max poderia ter dado mais espaço? Lewis foi imprudente?

Reveja o acidente:

Christian Horner, chefe da Red Bull:

— Espero que Lewis possa dormir essa noite, porque não foi uma boa pilotagem. A penalidade não alivia o crime de forma nenhuma. Você olha os anos anteriores e pilotos perderam provas futuras por causa de incidentes na primeira volta.

Toto Wolff, chefe da Mercedes:

— São dois caras disputando a corrida de forma dura. Tem uma regra, que é clara… se ao menos metade do carro está na frente. Já está pacificado. Por que dez segundos? Os comissários disseram que os dois [pilotos] tinham que aceitar a culpa.

Karun Chandhok, ex-piloto de F1

— Em nenhum ponto Hamilton toma a frente de Verstappen. Max vem, e quando percebe Hamilton ao lado, faz uma pequena correção, dando espaço, mas ele espera que Lewis vá recuar e essa é a questão crítica. E também Lewis espera que Max tire e o pé. São dois pilotos lutando pelo campeonato. Se você me perguntar, eu vou dizer que os dois poderiam ter feito mais para evitar o acidente. Acho que foi incidente de corrida.

Fernando Alonso, piloto da Alpine:

— É difícil estando de fora. Pareceu muito próximo, Lewis tinha mais de meio carro do lado de Max. Então, por um lado, Lewis não podia desaparecer da linha de dentro, não é como se você pudesse desaparecer. Foi um momento infeliz da corrida, mas nada intencional ou nada que qualquer um dos dois pilotos tenha feito de errado. Foi um momento de azar.

Charles Leclerc, piloto da Ferrari:

— É muito difícil de julgar de dentro do carro. A gente fica muito baixo, então é difícil de ver. Tudo aconteceu muito rápido. Claro que eu percebi que aconteceu alguma coisa ali na minha frente. É… então, acho que foi um incidente de corrida… é difícil colocar a culpa em um ou no outro. Claro, havia espaço por dentro, talvez Lewis não estivesse totalmente na tangencia, mas isso também vale para o Max, que foi bem agressivo por fora. Essas coisas acontecem, mas o mais importante é que Max esteja bem.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Red Bull de Verstappen ficou completamente destruída (Divulgação / Twitter F1)

Fábio Seixas, jornalista do UOL:

— Vivemos reclamando de falta de disputa na F-1. Pois acabamos de ver uma disputa de alto nível, entre dois pilotos sensacionais, no limite. Nenhum dos dois quis aliviar. E, quando isso acontece, geralmente termina mal para alguém. Acidente de corrida.

Rafael Lopes, jornalista do Grupo Globo:

— Pra mim, acidente de corrida, revendo as imagens. Hamilton jogou duro, Verstappen jogou duro. Ninguém quis ceder ali. Faltou muito pouco para os dois ficarem fora da prova ali na Copse. Se fosse um toque proposital, certamente não seria feito ali naquele trecho.

Luiz Razia, piloto brasileiro:

— Os caras estavam a 230km/h em disputa de campeonato, os dois fervendo em adrenalina. Nada ali é de propósito, total disputa de corrida, e ainda acho que o pênalti do Hamilton não foi justo, o Max tentou segurar por fora e não deu.

Bia Figueiredo, piloto brasileira:

— O que eu achei: Hamilton tirou o pé em todas as disputas deles esse ano. Inclusive nas primeiras curvas desse GP. A curva 1 de Silverstone é rápida. Muito difícil 2 fazerem essa curva. O HAM estava totalmente por dentro. O MAX, na minha opinião aceitou o risco. Coisa de corrida.

A batida de Hamilton e Verstappen mudou os rumos do campeonato mais uma vez. A próxima corrida é na Hungria, entre os dias 30 de julho e 1º de agosto.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top