Internacional

Internacional faz provocações ao Grêmio nas redes sociais: ‘Essa terra tem patrão’

Ricardo Duarte/Internacional

Neste domingo (24), o Internacional venceu o Grêmio, por 2 a 1. O gol de Edenilson, marcado de pênalti no último minuto, garantiu ao colorado a ampliação da vantagem na liderança do campeonato brasileiro. Todavia, por ser um clássico histórico, o time vermelho não deixou de provocar os rivais nas redes sociais. Nem mesmo os 11 jogos sem triunfos sobre o rival, superados hoje, foram suficientes para impedir alfinetadas.

Primeiro, logo após o gol de Edenilson, o perfil oficial do Internacional no Twitter fez a primeira provocação. Com um emoji de grito, o clube escreveu: “Essa terra em patrão”. Na sequência, ainda embalado pela vitória, o colorado fez uma publicação curta, mas para relembrar quem tem hegemonia em clássicos. Publicando “atualizando…” no Twitter, o Inter relembrou o número de vitórias sobre o rival na história. Em 429 jogos, já são 157 triunfos colorados e 136 gremistas. Isso dá uma diferença de 21 duelos a favor do Internacional.

Não obstante de provocar usando os números gerais do clássico, o Internacional ressuscitou uma música do século passado. Muito comum nas décadas de 80 e 90 do colorado, a canção “Papai é o maior”, do grupo Rolo Compressor, foi usada em vídeo, com os gols e a celebração dos atletas ao fundo. Mesmo sem a letra original, que continha a expressão “Jogo é jogado e não chorado”, ficou subentendido uma provocação em relação as reclamações de pênalti por parte do Grêmio. Ao final do jogo, aliás, o time escreveu “sem choro e sem perdão” nas redes sociais.

Ao contrário da instituição nas redes sociais, o grupo profissional do Internacional evitou provocações. Nem mesmo os mais de 2 anos ouvindo alfinetadas de atletas rivais, fizeram os colorados perderem a postura de vencedores no vestiário. Além disso, na coletiva, Abel Braga fez elogios ao futebol do Grêmio de Renato Gaúcho.

Para saber tudo do Internacional, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top