Palmeiras

Jean se despede do Palmeiras e agradece ao clube pelo período; confira as frases ditas

Jean Palmeiras
Jean tinha contrato com o Verdão até dia 30 de junho, e agora está livre no mercado Foto: Cesar Greco/Palmeiras

O agora ex-meio campista do Palmeiras, Jean, divulgou nesta sexta-feira (2) no seu Instagram um vídeo dele dirigindo o carro dele até o último dia de treino no clube. Agora, está livre no mercado, à procura de um novo clube. No vídeo apresentado, o atleta de 35 anos relembra toda a sua passagem, com seus momentos difíceis, e as glórias conquistadas. Pelo clube, o jogador diz ter muito gratidão, principalmente pelo clube ter renovado seu vínculo, para que ele pudesse completar o tratamento de uma grave lesão sofrida no joelho, quando estava emprestado. Para definir com um título esse período, Jean não titubeou em dizer: “Família”. Confira as principais frases.

Chegada, pressão, e eneacampeonato brasileiro

“Cheguei em 2016 e, no início, eu me lembro que o time não estava muito bem, no Campeonato Paulista. Vinha de um título da Copa do Brasil, em 2015, então, as expectativas eram altas. (…) Com isso, houve um certo desgaste com a torcida, e eu cheguei e peguei esse momento um pouco mais turbulento. Mas, eu me lembro até hoje que, depois de uma goleada que sofremos para o Água Santa por 4 a 1, o treinador era o Cuca, e em uma entrevista ele disse que nós seríamos os campeões brasileiros daquele ano. E foi exatamente isso que aconteceu. Isso me marcou muito.”

Lesão, e a volta por cima com o Deca

“Em 2018, no início, eu comecei fazendo uma cirurgia no joelho. Fiquei uns 4, 5 meses pra voltar a treinar, jogar. E quando eu voltei, com muita dificuldade, muito tempo parado, foi uma volta por cima. É algo bem particular, né. Eu precisei, em um momento ou outro, pra poder voltar bem, passar por cima de dor, aquela dor que incomoda. E ali, nós conquistamos o título brasileiro também, com o Felipão. Tínhamos um elenco ali, que num jogo jogava um time, e no seguinte era outro totalmente diferente. Pelo nosso elenco ser diferenciado, conquistamos o título de uma maneira bem expressiva, sabe.”

Ano sem títulos, mais uma lesão e contrato renovado

“Em 2019 geramos todas as expectativas, e não as alcançamos. E quando isso acontece, geram mudanças. Então, no começo de 2020, foi quando eu precisei mudar de time, e partir pra um novo ciclo. Então, fui emprestado para o Cruzeiro. E lá, também sofri uma lesão no joelho, e operei, no final de 2020. E meu contrato acabava no final do ano. E o Palmeiras me abraçou, abriu a portas para mim novamente, renovou meu contrato por seis meses, para que eu pudesse estar apto a trabalhar novamente.”

Gratidão ao clube

“Fiz a cirurgia, e, graças a Deus, cheguei a esse momento, apto para trabalhar. Estou pronto para começar um novo ciclo na minha vida. Então eu só tenho que agradecer. Do Palmeiras, meu coração só tem gratidão. Também tenho de todos os profissionais, sem exceção. Jogadores, todo o elenco que se passou pelo clube. Isso eu guardo no meu coração. Fica marcado pra mim.”

Leia também:

+Palmeiras consegue liberação junto à Fifa e Dudu já pode voltar a jogar pelo clube

Jean foi contratado em janeiro de 2016 pelo Palmeiras, com o clube pagando uma quantia ao Fluminense, seu clube anterior, pelos seus direitos econômicos. Na época, já era desejo do Verdão desde 2014, e chegou para suprir uma posição no meio-campo em que o clube estava carente, pois os titulares, Gabriel e Arouca, acabaram se lesionando no ano anterior.

Com Cuca, o o meio-campista foi para a lateral-direita, posição em que já havia atuado quando jogava pelo São Paulo. Nela, foi titular absoluto na campanha de campeão brasileiro de 2016. Em 2018, após se recuperar de uma lesão, foi mais uma vez campeão brasileiro, desta vez como reserva, mas, mesmo assim, entrava no decorrer dos jogos com frequência.

Para saber tudo sobre o Palmeiras, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Em 2019, Jean passou a ser mais utilizado quando Mano Menezes assumiu o cargo de treinador. Fez sua última partida em 5 de dezembro daquele ano, na goleada por 5 a 1 diante do Goiás, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, pela penúltima rodada do Brasileirão. Na ocasião, entrou no lugar de Raphael Veiga, no segundo tempo e, aos 24 minutos, deu uma assistência para Gabriel Verón marcar o seu primeiro gol com a camisa do Palmeiras. No total, foram 132 jogos e 12 gols marcados.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top