Lutas

Jéssica Bate-Estaca sonha com ‘reino longo’ se conquistar cinturão dos moscas do UFC

Jéssica Bate-Estaca
Foto: Jason Silva/Imago Images

Jéssica Bate-Estaca lutará no dia 24 de abril, no UFC 261, em Jacksonville (EUA) para buscar o cinturão peso-mosca do Ultimate diante de Valentina Shevchenko. A missão da brasileira no duelo é apenas um: ser campeã da categoria até 57kg e reinar por um bom tempo.

Em entrevista ao Combate, a lutadora brasileira afirmou que se vê em condições de se tornar por muito tempo a campeã dos moscas do Ultimate e evitar o que aconteceu no peso-palha, quando teve um reinado curto na categoria inferior.

— Agora é vencer, ser campeã e aproveitar ao máximo. Não consegui mostrar isso nos 52kg (peso-palha), mas nos 57kg, vencendo a Valentina, eu posso continuar tendo a alegria de ser uma das campeãs brasileiras – declarou Bate-Estaca.

E a subida de peso também, além de dar mais uma chance à paranaense de ser campeã, deu a Jéssica Bate-Estaca um novo fôlego. Agora sem se preocupar tanto com o corte de peso, a lutadora se vê mais bem preparada em todos os aspectos para colocar seu nome mais uma vez na história do Ultimate.

— Valeu muito a pena mudar de categoria. Quando eu estava nos palhas, eu me sentia triste. Sempre me preocupava com o peso e nunca com outra coisa. Quando eu ia lutar, nunca me preocupava com a rival ou a minha estratégia. A minha única preocupação era com o peso. E isso desgastava a minha cabeça. Agora não, eu como uma coisinha diferente durante a semana. Nessa última luta mesmo (contra Katlyn Chookagian), os nutricionistas mandaram arroz e carne para mim. Na semana em que ninguém estava comendo, eu comia arroz no almoço, então isso me trazia muita alegria. Saber que não preciso me matar para bater o peso, o que eu conseguia fazer no peso-galo, treinar e perder o peso treinando – comentou Jéssica.

Mas não apenas de Valentina Shevchenko deve viver os planos de Bate-Estaca no UFC. A brasileira mira pedir revanche com a chinesa Weili Zhang, sua algoz na categoria dos palhas. A antiga rival também lutará no mesmo evento da brasileira, encarando Rose Namajunas pelo cinturão dos palhas.

— Primeiro, o foco tem que ser a Valentina, Se a Rose vencer, dá para pedir a trilogia ou até a revanche se a Zhang ganhar. São coisas que passam pela minha cabeça, lutar pelo 52kg, mas continuar no peso-mosca. Se eu vencesse nos palhas, não sei se eu teria a capacidade de levar as duas categorias igual a Amanda (Nunes) faz. São duas categorias muito concorridas e com luta o tempo todo. Acredito que eu não conseguiria manter os dois cinturões, mas seu vencer nos palhas contra qualquer uma das duas seria legal. E eu ficaria nos moscas – declarou.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top