Vasco

Justiça determina penhora milionária na ‘Vasco TV’ para pagamento de dívida

Vasco TV transmite em PPV o Carioca 2021 (Foto: Reprodução)

O juiz João Marcos de Castello Branco Fantinato, da 34ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), determinou no início da noite desta quinta-feira penhora milionária contra o Vasco, em diversos setores, incluindo nos valores obtidos pela “Vasco TV” com as assinaturas do Campeonato Carioca na internet. O bloqueio é no valor atualizado da dívida em R$ 1.650.714,56. O Esporte News Mundo teve acesso a detalhes do caso.

Além do bloqueio nas verbas do canal de transmissão do próprio Vasco, o magistrado deferiu as penhoras dos créditos que o Cruz-Maltino tem a receber da Record TV, do programa de sócio-torcedor, da fornecedora Kappa, dos bancos Safra e BMG, da empresa patrocinadora Havan e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Também foi deferido a expedição de ofícios para as empresas Bakertilly, Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), CBF e Fifa para prestarem as informações requeridas.

No caso da primeira empresa, responsável pela auditoria do clube para o pool de credores, para informar todos os recebíveis futuros do Vasco, “tal qual lhe foi fornecido, incluindo, mas sem limitar créditos judiciais, percentuais de royalties de jogadores e semelhantes, patrocínios pontuais e master, rendas recorríveis e futuras, premiações passadas e futuras, créditos de particulares e todo o ativo circulante tal qual descrito no balanço contábil apresentado e aprovado em assembleia de conselheiros”.

Para as demais empresas, a determinação do magistrado é para que “informem em Juízo os valores recebidos pelo clube por transferência de jogadores, premiações e afins no período de setembro de 2020 até a recém classificação do clube para a fase subsequente da Copa do Brasil”.

A penhora é favorável a empresa “Marcelo D’Araujo Fornecimento de Alimentos LTDA”, que forneceu por anos a alimentação no clube. O início da ação foi em 2018, com no fim de 2019 as partes terem entrado em acordo, homologado então pelo juiz João Marcos de Castello Branco Fantinato. Entretanto, foi reativado agora, por conta de inadimplência por parte do Vasco nos pagamentos então estabelecidos e que passaram por homologação judicial.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top