Ponte Preta

Kleina abre jogo em semana cheia na Ponte Preta: ‘Lapidar várias situações’

Kleina abre jogo em semana cheia na Ponte Preta: 'Lapidar várias situações'

Gilson Kleina ficou satisfeito com a situação cheia de trabalho após maratona de jogos da Ponte Preta na Série B do Campeonato Brasileiro.

Com nove dias livres a partir de vitória em cima do Goiás, treinador espera colocar em prática, na próxima rodada, tudo o que foi trabalhado pela Macaca, além de ganhar boas notícias do Departamento Médico.

+ Kleina elogia Iago e assegura mais reforços na Ponte Preta: ‘Elenco diminuiu’

“É isso que a gente espera. Está sendo uma semana muito importante de trabalho. É uma semana em que a gente está podendo lapidar várias situações. Ao mesmo tempo, fazendo um trabalho de associação com a parte física. A gente está podendo recuperar os atletas e jogadores que estavam entregues ao Departamento Médico e que ainda estão em transição para ver se a gente ainda consegue reunir condições”, disse o comandante, em coletiva de imprensa.

“São os casos do Kevin, do (Léo) Naldi e do Lucas Cândido. São jogadores que têm tudo para crescer, além do próprio Niltinho. Tem jogador que chegou, que foi o caso do Iago. Então a gente sempre quer ter um elenco forte com essas opções para você poder montar dentro daquilo que nós pensamos e respeitando a característica dos nossos atletas para plataforma de jogo”, acrescentou.

ESPELHO

Gilson Kleina reconheceu que o triunfo contra o Goiás, forte postulante ao acesso, aumenta o nível de exigência da Ponte Preta, especialmente também por conta da atuação contra o líder Náutico.

“Nós também criamos essa expectativa interna. Nós aumentamos nosso sarrafo, mas, infelizmente, nós tivemos problemas e mudamos a característica da equipe. Isso não é uma justificativa. É uma constatação. Nós optamos, contra o Náutico, por fazer uma equipe de muita velocidade, mas com muita qualidade técnica também. Quando você vem para o jogo e na véspera do jogo você perde peças que vinham já com entrosamento, que é o caso o Kevin e o Niltinho no lado direito. Aí você troca o lado do Felipe (Albuquerque). Daí você coloca uma outra situação com características diferentes. A gente tentou montar em cima daquilo que a gente apresentou lá. Então a gente também criou essa expectativa. Nós não conseguimos manter”, analisou.

“A derrota do Remo nós propiciamos. Nós demos essa condição do Remo sair na frente. O erro faz parte. Nós tentamos fazer esse ajuste com uma saída por dentro, que é uma saída muito perigosa. A gente tentou corrigir essa situação. Eu acho que, contra o Vitória, a gente fez, nos 30 primeiros minutos, um primeiro tempo onde nós estávamos bem na partida. Nós tínhamos que ter saído na frente por nós termos criado ações para fazer o gol. Depois, o adversário acerta um belo chute. Nós ficamos o tempo todo tentando empatar mesmo fora de casa. O Vitória, depois, se propôs a jogar no contra-ataque e nós tivemos duas ou três chances e não conseguimos trazer um ponto de lá. Então a gente trabalhou em cima de circunstâncias e em cima de jogadores que nós perdemos naquele momento”, continuou.

“A gente não conseguiu repetir, mas é isso que a gente está buscando. Quando a gente não conseguir manter um jogo de referência, que foi o Náutico, que a gente possa montar muito próximo disso. Eu me lembro que, contra o Vitória, a gente pôde fazer praticamente a estreia do Lucas Cândido e o retorno do Rodrigão. Eu lembro que nós fizemos três substituições já com dez ou 12 com a entrada, naquela ocasião, do Renatinho. Mudamos alguma situação para equipe buscar esse resultado”, prosseguiu.

“Contra o Goiás, foram dois tempos distintos, mas feliz de ter o resultado em cima de uma equipe que está no G4. É uma equipe forte. A gente, com toda essa situação desde a nossa chegada, das contratações, jogadores chegando, jogadores lesionados e jogadores também que estão se adaptando ao entrosamento e ao clube… eu acho que todos esses processos, a cada dia e a cada semana, a tendência é que a equipe se qualifique e a gente possa ter uma sequência aí de resultados bons para gente poder definitivamente sair dessa zona ruim que nós nos encontramos”, arrematou.

TABELA

Em 18º lugar com 12 pontos, Ponte Preta volta a campo pela Série B do Campeonato Brasileiro no domingo, 1º de agosto, diante do CRB, em Maceió, no Estádio Rei Pelé, a partir das 18h15.

A provável escalação da Macaca tem Ivan; Felipe Albuquerque, Fábio Sanches, Cleylton e Rafael Santos; André Luiz, Vini Locatelli e Camilo; Richard, Moisés e Rodrigão.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top