Automobilismo

Lando Norris bate recorde de Senna, Hamilton, Prost e Alonso na McLaren

Lando Norris
Foto: Reprodução/Twitter McLaren

Com a quarta posição conquistada no GP de Silverstone no último domingo, Lando Norris, um dos pilotos mais talentosos da nova geração da Fórmula 1, completou 15 provas consecutivas na zona de pontuação da categoria, um novo recorde por um piloto da McLaren.

+ Hamilton ou Verstappen: quem teve culpa na batida? Especialistas opinam

A marca anterior pertencia a Fernando Alonso, que emplacou 14 corridas consecutivas pontuando pela equipe na temporada de 2007. Naquele ano, o espanhol pontuou entre as provas da Austrália, abertura do campeonato, até o GP da Bélgica e teve a sequência interrompida no Japão.

Se a pontuação utilizada em 2007 fosse a mesma de hoje, Lewis Hamilton teria tido uma sequência de 15 provas consecutivas, mas na ocasião apenas os oito primeiros pontuavam. Assim, a melhor marca do heptacampeão foram dez provas, entre o GP do Japão de 2010 e Mônaco em 2011.

Jenson Button também foi outro piloto a conquistar ótima sequência com a McLaren. O inglês conseguiu superou a marca de dez provas consecutivas na zona de pontuação em duas ocasiões entre 2010 e 2012.

Até a metade dos anos 2000 apenas seis pilotos pontuavam por corrida, isso fez com que Ayrton Senna e Alain Prost nunca atingissem a marca de dez provas seguidas na zona de pontuação. O recorde do brasileiro foi de oito corridas, enquanto o francês alcançou a marca de nove. Porém, mesmo que a pontuação atual fosse ativa em suas épocas, eles ainda seriam superados por Norris, visto que ambos alcançaram a marca de 13 provas seguidas entre os dez.

Para mais notícias sobre Automobilismo, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Por fim, o finlandês Mika Hakkinen também conseguiu um grande feito ao conseguir 12 vezes seguidas terminar entre os seis primeiros na temporada de 2000. Esse recorde durou até 2007, quando foi superada por Alonso e agora fica atrás também de Lando Norris entre 2020 e 2021.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top