Coritiba

Lucas Ronier, da base do Coxa, fala ao ENM sobre Copa do Brasil Sub-20

Lucas Ronier Coritiba
Foto: Arquivo Pessoal

O Coritiba faz uma campanha histórica na Copa do Brasil Sub-20 e está na final da competição depois de superar União Rondonópolis, Bahia, Atlético-MG e Internacional. Os Piás do Couto não demoraram para cair nos braços da torcida, que já pede pela promoção de muitos ao elenco principal. Dentre eles, o meio-campista Lucas Ronier, de 16 anos, entrou em campo em seis oportunidades e foi fundamental à classificação para a semifinal, quando marcou o gol de empate do Coxa no fim do jogo de ida contra o Atlético-MG. O ENM conversou com o prata da casa, Lucas Ronier falou sobre sua carreira e revelou detalhes sobre os bastidores da campanha histórica na competição. Confira abaixo.


Há quanto tempo você está no Coritiba? E como é seu estilo de jogo?

[Estou há] Oito anos na base do Coxa. Comecei lá na escola Coxa-Branca do Rio Grande, e de lá para cá [venho] sempre fazendo o meu papel, que é jogar bola, ser feliz, alegre, me dedicar desde sempre para alcançar meus objetivos (…).E eu sou um ponta, né. Jogo na direita, na esquerda, gosto mesmo é de jogar mais pela direita, é onde eu sempre joguei. Sou canhoto, então eu pego bola na direita, e trago para dentro, ou também posso levar mais pro fundo. Eu me sinto muito bem nessas duas posições, é onde gosto de jogar.

Você tem 16 anos, é um dos mais novos do time. Qual a sensação quando soube que seria integrado ao Sub-20 pra disputar a Copa do Brasil? E quais os planos para depois da competição?

Quando eu soube que ia treinar com o sub-20 em preparação para essa competição, eu fiquei muito feliz, porque é uma coisa nova para mim, que sou bem novo também. (,,,) Mas eu não sou o mais novo, não. Tem outras pessoas mais novas que eu, e outras que são só meses mais velhos do que eu. (…). E de lá para cá trabalhamos muito forte para chegar nas finais, porque o Coritiba sempre trabalha, na base e no profissional, para chegar na final e ganhar um título.

Depois da Copa do Brasil, eu vou permanecer no sub-20 treinando aqui para as próximas competições, e se surgirem outras competições, a gente tá muito bem preparado, com certeza.

Quais são as suas maiores inspirações dentro do Coxa?

Me inspiro muito no Alex, nem se fala né? é um cara que jogou muito aqui no Coritiba e fez história. Um cara muito bom pra gente se inspirar bastante dentro e fora de campo, uma pessoa muito boa. E tem outros jogadores que me inspiram também, como o Dirceu Kruger que é ídolo aqui, né? Então se eu fizer metade do que ele fez aqui já está de bom tamanho (…). Sempre que eu estive ali no Couto, me imaginava fazendo gol e correndo para a curva, para comemorar com a torcida no Couto lotado.

Sempre que eu estive ali no Couto, me imaginava fazendo gol e correndo para a curva, para comemorar com a torcida no Couto lotado. 

E como ficam os planos pro futuro? Você já teve contato com a comissão técnica do time principal? Recebeu propostas de outros times?

Eu ainda não tive contato com a comissão técnica profissional, mas a minha meta é chegar ao profissional o mais rápido possível, porque acredito que tô fazendo um bom trabalho, me esforçando ao máximo e vivo um bom momento atualmente. E tenho sim o interesse de alguns clubes, mas eu tô mais motivado aqui em Curitiba, quero fazer um bom final de Campeonato, ser campeão, e aí é só alegria. Sempre tive o sonho de jogar fora do Brasil, jogar uma Champions League e tal. Mas primeiro, tenho que focar aqui, fazer história aqui, chegar ao profissional, e assim sucessivamente, novas conquistas vão surgir.

Agora sobre a campanha do Coritiba na Copa do Brasil Sub-20, qual foi a sensação quando você fez o gol de empate contra o Atlético-MG, que trouxe o Coxa de volta à partida?

Foi o gol mais importante da minha carreira, sem sombra de dúvidas. E foi um jogo que passou no SporTV, transmitido. É um gol que eu vou levar para a vida toda, e sorte que passou na televisão e tá gravado, né? Pra eu poder rever. Se não fosse eu ia ficar muito triste (risos). Mas é um gol que que eu ainda fico imaginando, que era para acontecer mesmo, porque tava no momento certo, na hora certa, e ainda bati com a perna direita [e sou canhoto](…).

O jogo estava difícil. Nós estávamos dois gols atrás do placar, e nós conseguimos fazer um gol. Eu entrei e tive boas participações ali no ataque, quando a bola veio para mim eu já tinha mentalizado que ia pegar o rebote, a bola ia sobrar e eu ia ser feliz na finalização. E foi o que aconteceu, graças a Deus.

Lucas Ronier já entrou em campo seis vezes na Copa do Brasil Sub-20. Foto: arquivo pessoal

Nas categorias de base, você já fez gols em clássicos?

Já fiz gols no Paraná e no Athlético. É diferente, é um clássico, ninguém quer perder, e a felicidade é muito grande. É muito bom fazer gol em clássicos(…) principalmente no Athletico, né? (risos)

Já fiz gols no Paraná e no Athlético. É diferente, é um clássico, ninguém quer perder, e a felicidade é muito grande. É muito bom fazer gol em clássicos(…) principalmente no Athletico, né? (risos)


O Coritiba Sub-20 entra em campo no Domingo (13), às 14:00, no Couto Pereira. O jogo é válido pela ida da final, a volta está marcada para o próximo Domingo (20), ainda sem horário confirmado. Para ficar ligado em tudo o que acontece com Lucas Ronier e com as categorias de base do Coritiba, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top