Cruzeiro

Luxemburgo exalta atuação da equipe e destaca garotos da base: ‘Jogamos como Cruzeiro’

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Após vitória por 3 a 0 diante do Coritiba, em entrevista coletiva, o técnico Vanderlei Luxemburgo elogiou a atuação do Cruzeiro no Couto Pereira. Segundo ele, o time celeste propôs o jogo, jogou com propriedade e impôs respeito na atuação. Confira o que foi dito:

— É, a vitória foi convincente, né? Nós jogamos com propriedade, jogamos como tem que jogar o Cruzeiro, respeitar o adversário, mas ir na casa do adversário e jogar. Foi o que nós fizemos, né? Jogamos futebol.

Leia também: Atuações ENM: Giovanni aplica lei do ex, Adriano e Brock marcam e Cruzeiro vence com tranquilidade; veja notas

Com cinco garotos formados nas categorias de base entre os titulares diante do Coritiba, em dado momento da entrevista, Luxemburgo destacou a atuação dos jogadores. O profissional ainda destacou que tem por característica oportunizar os atletas formados no clube, desde que eles tenham qualidade.

— Eu tenho por característica minha, não é de hoje, sempre dar espaço para molecada. Acho que hoje em dia, um moleque de 16 anos, 17 anos, 18 anos, eles entram e jogam. O Thiago fez uma grande partida hoje, se movimentou o tempo todinho, podia ter feito gol. (…) O Cruzeiro jogou com propriedade, jogou como Cruzeiro o tempo todo.

Inclusive, para a partida na capital paranaense, o treinador e sua comissão técnica relacionou o garoto Vitor Roque, que, com apenas 16 anos de idade, ficou no banco pela primeira vez. Para Luxemburgo, é importante a integração com as categorias de base, uma vez que também faz parte do processo de reconstrução celeste.

Destaque da categoria Sub-17 do Cruzeiro, Vitor Roque, relacionado pela primeira vez, tem 19 gols na temporada - Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Destaque da categoria Sub-17 do Cruzeiro, Vitor Roque, relacionado pela primeira vez, tem 19 gols na temporada – Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

— Eu tenho feito um trabalho bem vertical, né? Eu olho muito na categoria de base, então os jogadores sabem que eu, a qualquer momento, estou buscando um lá. Então, eu fui assistir o Sub-17 e vi o Vitor Roque, muito malandro, muito experiente com a idade dele. (…) Então, eu trouxe porquê isso vai motivando a todos das categorias de base. Fazendo um trabalho vertical, integrado, acho que tem que ser assim, não pode ser diferente.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top