Conmebol Libertadores

Maior altitude da história da competição, segundo colocado da Venezuela e tricampeão da América; conheça os adversários do Internacional na Libertadores

Arte/Internacional

Na tarde desta sexta-feira (09), foram sorteados os grupos da fase de grupos da Copa Conmebol Libertadores da América de 2021. O Internacional, foi colocado no Grupo B, ao lado de Olimpia, do Paraguai, Deportivo Táchira, da Venezuela e Always Ready, da Bolívia. Em um primeiro momento, esse sorteio parece positivo, com duas equipes de pouca expressão. Todavia, essa chave da competição continental esconde alguns perigos para o colorado.

Always Ready, da Bolívia

Foto: Divulgação/Always Ready

Sem dúvidas, está é uma das equipes mais desconhecidas que se classificaram para a Libertadores. Todavia, o time, que á o atual campeão da Bolívia, esconde alguns perigos, que podem complicar a vida não só do Internacional, como também das outras equipes do grupo. É contra eles que o colorado estreará, e fora de casa.

A primeira dificuldade imposta contra o Internacional deve ser a altitude. O Estádio Municipal de El Alto, está localizado há 4.090 metros acima do nível do mar. Esse número representa a maior altitude da história em que haverá jogo pela Conmebol Libertadores. Não bastasse apenas isso, o gramado ainda é sintético. Nos arredores de La Paz, a casa do Always Ready promete ser uma arma na busca dos bolivianos pelas oitavas-de-final, mas não a única.

Atual campeão da Bolívia, superando os tradicionais Bolívar e The Strongest, o Always Ready conta com aporte financeiro de um empresário local. Tanto é que, nos últimos anos, vem buscando contratar jogadores da seleção nacional, como o goleiro Lampe e, mais recentemente, o atacante experiente Arce. A principal característica da equipe é a pressão nas defesas adversárias dentro de casa. Porém, quando viaja para jogar em outros pontos, costuma se complicar. Tanto é que, na pré-temporada realizada no Brasil, perdeu jogos para as equipes sub-20 do Palmeiras e para o fraco Atibaia. Sem dúvidas aposta em pontuação máxima como mandante para se classificar.

Deportivo Táchira, da Venezuela

Foto: Divulgação/Deportivo Táchira

Depois de visitar o Always Ready, na Bolívia, o Internacional volta ao Beira-Rio para enfrentar o Deportivo Táchira, da Venezuela. A equipe amarela e preta, chega na fase de grupos da Conmebol Libertadores após terminar o Campeonato Nacional na segunda colocação, atrás do Deportivo La Guaira. Por mais que seja uma equipe de tradição, o Táchira entra em um momento complicado para o clube.

A perda do título nacional para o Deportivo La Guaira, de menor tradição na Venezuela, já demonstram sinais de que a equipe do Deportivo Táchira encontrará dificuldades na Libertadores. Além disso, com o futebol paralisado no país, por conta de medidas restritivas contra a Covid-19, o duelo diante do Internacional será, provavelmente, apenas o segundo jogo oficial da equipe na temporada. Isso, obviamente, deve fazer o time sentir o ritmo – apesar de diversos jogos-treino preparatórios -ainda mais diante de uma equipe qualificada e com partidas constantes como o colorado.

Não bastasse a paralisação do futebol, a perda do título nacional também demonstra que o momento técnico não é dos melhores. Apesar disso, a tradição de enviar atletas para a seleção da Venezuela segue a todo vapor. Na última convocação, apesar de não acontecerem os jogos, fora chamados os seis principais destaques da equipe: o defensor Pablo Camacho, os meias David Zalzman, Maurice Cova, Edson Alejandro Tortolero e Michael Covea, e o atacante Duglar Angarita. Mesmo assim é, aparentemente, o mais fraco do Grupo B.

Olimpia, do Paraguai

Foto: Divulgação/Olimpia

Time de história, tradição – possuem três títulos continentais (1979, 1990 e 2002) – e que sempre consegue incomodar na Libertadores, o Olimpia promete ser a segunda força do Grupo B, mas ainda atrás do Internacional. Atuais campeões paraguaios, o time não vem conseguindo jogar bem, levantando o caneco mais por regularidade do que por jogo bonito. Todavia, é com base nessa manutenção que os paraguaios apostam para avançarem, apesar da mudança no comando técnico – saiu o campeão Nestor Gorosito e chegou Orteman.

Será contra o Olímpia o terceiro confronto do Internacional na competição. Atualmente, essa manutenção e padrão de jogo deve-se, e muito, a experiência do elenco. Jogadores rodados, como os zagueiros Polenta e Alcaraz, os laterais Otálvaro e Alejandro Silva, o meia Estigarríbia e os atacantes Derlis Gonzáles e Roque Santa Cruz, ainda conseguem dar um equilíbrio tático que resultam em placares vitoriosos.

A esperança do torcedor do Olímpia, apesar dos mais rodados, recame sobre “Pollo” Recalde, atacante de boa qualidade técnica que promete incomodar as defesas adversárias. Todavia, por ser um time de atletas mais velhos, deve sofrer em duelos na altitude, contra o Always Ready, além de, provavelmente, encontrar problemas frente ao jogo de posição do Internacional. Por conta disso, é favorito pra se classificar, mas não pode se dar ao luxo de perder pontos, principalmente, contra o Deportivo Táchira.

Para saber tudo do Internacional, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top