Lutas

Marina Rodriguez detona ex-campeã do UFC após vencer Mackenzie Dern

Divulgação/Twitter Oficial UFC

A vitória sobre Mackenzie Dern pode ser mais um passo de Marina Rodriguez para a brasileira sonhar em ser a próxima desafiante ao cinturão dos palhas do UFC. Mas, antes, poderá ter que fazer uma luta antes disso.

E duas adversárias foram citadas na coletiva pós-luta, a polonesa Joanna Jedrzejczyk e a chinesa Yan Xiaonan. Quanto à primeira, Marina não poupou palavras contra a ex-campeã da categoria, sugerindo que esta recusou a enfrentar e afirmando que não deveria estar ranqueada (é segunda da lista da divisão) por inatividade.

– Sinceramente, a Joanna já disse que não quer lutar comigo, então irei dizer que não quero lutar com ela também. Ela não deveria estar no ranking porque ela não luta mais. Deveria dar espaço para as outras meninas, que estão batalhando. lutando três vezes por ano para conquistar o seu espaço – afirmou a brasileira.

LEIA MAIS

+ Tyson Fury reage, nocauteia Deontay Wilder e mantém cinturão dos pesados

+ UFC Vegas 39: Marina Rodriguez faz luta dominante e vence Mackenzie Dern

Com Joanna descartada, Xiaonan surge como um nome que agrada Marina Rodriguez neste momento. Com Carla Esparza à espera da revanche entre Weili Zhang e Rose Namajunas para saber se será a próxima desafiante da categoria, a chinesa seria um nome que interessa à brasileira.

– Pode ser a chinesa (Xiaonan). Só prefiro que seja alguém que esteja na minha frente. Ou lutem pelo cinturão rápido e botem a Carla, ou se quiserem, me botem lá para disputar o cinturão – afirmou Marina. que defendeu o direito da campeã inaugural dos palhas de ter seu ‘title shot’ depois do UFC 268, onde o cinturão da categoria será posto em disputa.

– Jamais iria negar uma chance dessas, mas a Carla deveria ser a próxima e não a Zhang. Mas, como já casaram a revanche, essa luta vai acontecer. Se o UFC me der essa oportunidade, irei agarrá-la. Desculpa Carla, mas se isso não acontecer, a gente espera ela ir lá, ganhar o cinturão e a gente faz uma revanche pelo título. Quem luta pelo cinturão demora seis meses para defender, é difícil esperar. Se tiver que esperar mais, vou ter que fazer uma luta com as meninas da frente. Se aparecer antes, estou pronta para o cinturão – afirmou.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top