Juventude

Marquinhos Santos pede paciência da torcida do Juventude sobre o seu trabalho no clube

Marquinhos Santos pede paciência do torcedor do Juventude
Reprodução/Papo TV

Depois da eliminação do Juventude na Copa do Brasil muitos torcedores do Papo não ficaram satisfeitos com o desempenho do clube comandado pelo técnico Marquinhos Santos. O treinador do alviverde foi alvo de críticas que muitas vezes questionavam o seu trabalho no time de Caxias do Sul.

Neste domingo (18), um dia antes do Ju encarar o Esportivo pelo Campeonato Gaúcho, o treinador concedeu entrevista coletiva e pediu que a torcida do Papo tivesse paciência com o momento do clube e com o seu trabalho. De acordo com ele, o mesmo vem buscando evoluir em um cenário onde o futebol está inserido dentro do contexto da pandemia. Marquinhos Santos, inclusive, citou a morte de sua mãe que faleceu devido ao Covid-19 no inicio deste ano para exemplificar o momento delicado que está enfrentando. O treinador pediu que os torcedores fizessem uma autocrítica sobre tudo o que está acontecendo.

 —  Estamos sempre procurando evoluir, e autocritica é realizada jogo após jogo, mas não só no futebol. Vivemos em um momento de pandemia, passando pelos momentos mais críticos do país. Cito o exemplo de um companheiro, o Sílvio Criciúma, que foi agredido verbalmente nas redes sociais e respondeu. E eu me solidarizo com ele, pois está com dois irmãos intubados. Entendo a dor dele, pois eu perdi minha mãe pela covid. Nós não pudemos estar com os familiares, eu não pude sepultar a minha mãe. Tive que ficar aqui, aqui fiquei trabalhando e me dedicando ao Juventude — disse Marquinhos Santos.

Com a eliminação na Copa do Brasil, muitos torcedores do Juventude pediram a demissão de Marquinhos Santos. O treinador se mostrou contrário a esse pedido e destacou que no momento é necessário ter equilíbrio e sabedoria para saber o que falar, sobretudo nas redes sociais após a derrota do clube do coração.

— São momentos que a gente não aceita, mas entende o torcedor. Como ele não pode ir ao estádio, usa a rede social para se manifestar, às vezes com ódio. E esse ódio é transferido ao futebol, pelo momento social e econômico do país, até politicamente falando. Então precisamos ter mais equilíbrio e sabedoria. E creio que, na vida, não só eu, mas todos nós temos que fazer essa autocrítica como pessoa, como ser humano — disse Marquinhos Santos.

Para saber tudo do Copa do Brasil, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook. E se inscreva no nosso YouTube!

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top