Basquete

NBA adia os dois próximos jogos do Chicago Bulls por causa de surto de Covid

Foto: Divulgação/Chicago Bulls

A NBA confirmou o adiamento dos dois próximos jogos do Chicago Bulls por causa do surto de Covid que acometeu o elenco. As partidas seriam contra o Detroit Pistons, na terça, e o Toronto Raptors, na quinta. Ainda não há previsão de remanejamento das datas e é a primeira vez na temporada que um confronto é adiado. Com a notícia de que o ala/pivô Alize Johnson testou positivo para Covid-19 nesta segunda-feira (13), a franquia de Illinois perdeu o décimo jogador do elenco afastado pelo protocolo de saúde e segurança da NBA.

Os Bulls já tinham sofrido com desfalques na derrota para o Miami Heat, no sábado. Mas a lista engrossou nos últimos dias. De acordo com o protocolo, o atleta que é afastado precisa fazer quarentena de 10 dias ou apresentar dois exames PCR negativos, com intervalo de 24 horas entre eles, para retornar às atividades. Por causa do surto, a franquia realiza testes nos jogadores diariamente para controlar a situação. Até o momento desta publicação, a lista de desfalques conta com Coby White, Javonte Green, DeMar DeRozan, Matt Thomas, Derrick Jones Jr., Stanley Johnson, Ayo Dosunmu, Troy Brown Jr., Zach LaVine e Alize Johnson. Apesar de não confirmada, a volta de Coby White era esperada para o duelo contra os Pistons. Ele retornou ao centro de treinamento da equipe no domingo.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Além do elenco, os comentaristas e ex-jogadores dos Bulls, Stacey King e Bill Wennington, também foram afastados pelo protocolo contra a Covid. Apesar da intensidade do surto, todos os atletas da franquia se vacinaram e ninguém apresenta sintomas graves da doença. A equipe de Chicago é a terceira colocada da Conferência Leste, com 17 vitórias e 10 derrotas.

Nas últimas semanas, os casos de contaminação pelo coronavírus aumentaram na NBA e nos EUA. A chegada da variante Ômicron, altamente transmissível, é uma das maiores preocupações das autoridades. Ontem, o país atingiu a marca de 800 mil mortes por Covid-19, o maior número de óbitos pela doença no mundo. A liga divulgou que 97% dos jogadores estão vacinados e, segundo o jornalista da ESPN, Adrian Wojnarowski, mais de 60% já tomaram a dose de reforço.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top