Geral

Francis Ngannou revela fator que influiu em derrota para Miocic

Ngannou
(Photo by GREG BAKER/AFP via Getty Images)

Francis Ngannou terá no UFC 260 a chance não apenas de uma revanche com Stipe Miocic, mas também chegar ao sonho de conquistar o cinturão dos pesos-pesados do Ultimate. que lhe escapou das mãos em janeiro de 2018.

Na primeira luta entre ambos, o camaronês vinha de uma sequência de nocautes que fez ‘The Predator’ se tornar um dos lutadores mais festejados da organização. Mas Miocic, que assim como agora, era o campeão, dominou do começo ao fim e manteve a cinta.

Para esta revanche, são quatro vitórias seguidas para Ngannou, que deu entrevista ao Joe Rogan Experience para falar sobre o combate e admitir que, no primeiro duelo, os nocautes rápidos não lhe deram espaço para ter a experiência de uma luta de cinco rounds como aquela

– Gostei de ter aprendido muitas coisas porque, mesmo se eu achasse que estava pronto, eu ainda não tinha experiência em outras. Eu pensava como seria se eu lutasse três rounds, porque estava indo para uma de cinco e eu não tinha nem passado do terceiro round em minhas lutas. Imaginava como seria e como deveria me preparar. Quando aconteceu isso, descobri como seria – disse Ngannou.

– Eu subi de forma apressada, não tinha experiência no octógono para aquele patamar. Ali, estava lutando há quatro anos no MMA mas não tinha o tempo de luta necessário para entender. Em uma luta, eu tive mais tempo de combate do que todo o restante da minha carreira – concluiu.

Agora, o camaronês se diz ‘mais experiente’ do que no duelo de 2018 e espera usar tal aprendizado para conseguir o tão sonhado título dos pesos-pesados e fazer a ‘grande promessa’ da categoria se tornar realidade.

– Naquela luta contra Stipe, fui apressado demais no primeiro round. Assistindo aquela luta, eu não me reconheço ali porque aquele não é o meu estilo de luta. Comparando com outras lutas minhas, é como se fossem duas pessoas diferentes. Eu costumava lutar com mais calma, ditava o ritmo e buscava uma oportunidade. Naquela luta, fui com muita pressa. Eu deveria ter ido com calma – disse.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top