Atlético-MG

No dia do goleiro, Atlético-MG homenageia grandes nomes da história do clube

Foto: Reprodução / Atlético

Esta segunda, 26 de abril, marca o Dia do Goleiro no Brasil. O Atlético é um celeiro de grandes nomes da história do futebol, por conta disso, o clube homenageou 11 nomes que já vestiram e fizeram história com a camisa do clube. Começando com Kafunga e chegando até a goleira Amanda, do time feminino do Galo.

Confira a sequência de homenagens feitas pelo Galo aos grandes goleiros da história do clube

O primeiro homenageado pelo Galo foi o goleiro do primeiro título da história do clube, João Ferreira, campeão da Taça Bueno Brandão, em 1914. O segundo, é um dos três maiores da história do alvinegro, o lendário Kafunga, que fez história no clube atuando por três décadas. Outro relembrado foi o Mão de Onça, que ganhou esse apelido justamente pelas mãos grandes e por ser um grande goleiro. Na sequência, a homenagem foi para Renato, goleiro do título Brasileiro de 1971 e que foi o pilar de uma defesa sólida que ajudou o Galo a vencer o, na época, primeiro Brasileirão da história.

Renato, goleiro do título Brasileiro de 1971 – Foto: Reprodução / Atlético

Também foram lembrados dois goleiros estrangeiros que tiveram pequena, mas importante passagem no clube. Começando pelo uruguaio Mazurkiewicz, que atuou no Galo entre 1972 e 1974, quando era considerado por muitos o melhor goleiro do mundo. Na sequência, entre 1976 e 1977, quem defendeu o gol alvinegro foi o argentino Ortíz, que além de tudo ainda marcou sete gols com a camisa do Galo.

Também homenageado, o jogador que mais vestiu a camisa do Atlético, João Leite, sendo 684 jogos em 13 anos defendendo a meta atleticana, vencendo, por exemplo, a Conmebol de 1992 e 11 estaduais. Em 1995, o Galo pode contar com uma lenda mundial, o goleiro Taffarel havia acabado de ser um dos grandes nomes do tetra do Brasil na Copa do Mundo de 1994 e foi defender as cores alvinegras, onde também marcou história.

Já o século XXI, não foi marcante em relação a goleiros para o alvinegro, que teve um período em que nenhuma contratação dava certo. O primeiro da década a ser lembrado foi Diego Alves, hoje no Flamengo, o goleiro foi revelado nas categorias de base em um momento difícil do clube, a série B, mas mostrou personalidade e foi um dos destaques do time na campanha do acesso e no ano seguinte. Por fim, dentre os homens, impossível não se lembrar do maior goleiro da história do Atlético, São Victor. Hoje gerente de futebol, o goleiro foi o grande nome do maior título da história do clube, a Libertadores de 2013, e ficará pra sempre marcado na história. Já no feminino, quem foi lembrada foi a goleira Amanda, que faz parte do elenco atual do Galo e foi a heroína do título estadual conquistado sobre o Cruzeiro em 2020.

Falando em goleiro: Rafael terá que passar por cirurgia e desfalca o Galo na Libertadores

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top