Grêmio

Opinião: qual o setor mais carente do Grêmio para 2022?

Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O Grêmio segue fazendo suas movimentações no mercado da bola para ter o elenco formado para 2022. Depois de anunciar o lateral-esquerdo Nicolas e o lateral-direito Orejuela, o tricolor está perto de fechar com o zagueiro Bruno Alves.

Desse modo, o Grêmio já tem três reforços para o setor defensivo, sendo que ainda deve buscar mais um zagueiro para completar o setor. Contudo, mesmo com os nomes anunciados fica a questão de qual setor mais carente do Grêmio hoje, tendo em vista os problemas vividos em 2021.

Jorge Salgado confirma interesse de Vasco em Diego Souza
Diego Souza foi o artilheiro do clube na temporada, mas não renovou seu contrato – Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Para saber tudo sobre o Grêmio, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram.

O setor defensivo demonstrou muita carência, apesar de bons nomes que contava no elenco. Contudo, com um bom ajuste da parte tática, o Grêmio consiga passar sem maiores problemas em 2022.

Já o meio-campo não teve grandes perdas e parece ser hoje a espinha dorsal do time, já que há grandes possibilidades de o trio Thiago Santos, Lucas Silva e Campaz ganharem sequência como titulares.

O principal ponto de dúvida para o elenco hoje é no ataque. Com as saídas de Borja e Diego Souza, o Grêmio não conta com uma peça de referência para a titularidade, tendo em vista que Churín não deve ser aproveitado.

Ainda há as incógnitas sobre Douglas Costa e Ferreira. O primeiro está em pé de guerra com a direção e os altos valores que recebe enfraquece cada vez mais a chance de ficar. Já o segundo possui um bom valor de mercado e tem sem nome ligado com vários clubes.

Apesar do iminente acerto por Janderson, o Grêmio não tem poder de fogo suficiente no elenco para brigar disputar os campeonatos. A fixação de Elias no elenco principal poderia ser um alento, mas mesmo assim, a direção precisa buscar nomes bons e baratos para o setor mais fraco hoje do time.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top