Atlético-MG

Bicampeão: Os 50 sofridos anos entre o primeiro e o segundo título Brasileiro do Atlético-MG

Foto: Divulgação / CBF

A vitória do Atlético-MG sobre o Bahia garantiu o segundo título Brasileiro para o Galo. A taça volta para o alvinegro mineiro após 50 anos. Desde 1971, quando conquistou o chamado “primeiro Brasileirão”, o clube passou por muita coisa, a maioria delas dramáticas negativamente.

+ Do choro de tristeza em 2005 ao de felicidade em 2021: o atleticano é quem mais merece comemorar um Brasileirão

+ Emocionado, Reinaldo vive dia inesquecível no Mineirão e afirma: ‘Como rei do Galo, já libero o grito de bicampeão’

De 1972 até 2020, foram cinco vice-campeonatos do Atlético no Brasileirão, incluindo um invicto. Além disso, o clube ficou outras 11 vezes entre os quatro primeiros colocados. Com a disputa em mata-mata até 2002, o Galo chegou nas semifinais da competição em 12 oportunidades, sendo um dos clubes que mais vezes ficou perto de ser campeão. Mesmo assim, não conseguia mais conquistar a taça do principal campeonato nacional.

Ao longo dos 50 anos, o campeonato que mais “machucou” o atleticano foi o de 1977, quando o Atlético foi vice-campeão invicto em pleno Mineirão. O Galo fez uma campanha de 20 jogos, 17 vitórias e três empates até a grande final, marcando 55 gols e sofrendo apenas 16. O clube tinha tudo para ser bi-brasileiro quando encarou o São Paulo na grande final. No entanto, uma punição “atrasada” tirou Reinaldo, principal jogador do time e artilheiro do campeonato – marcando 28 gols em 18 jogos – e o alvinegro sentiu o golpe. Na final, empate em 0 a 0 no tempo normal, com o alvinegro reclamando muito de um pênalti não marcado, e derrota na disputa de pênaltis mesmo com o goleiro João Leite ainda defendendo duas cobranças tricolores e o Galo saindo na frente. Mas ao perder três cobranças, o Atlético saiu perdedor.

Em 1980, Atlético e Flamengo eram os melhores times do país e fizeram a final do Brasileirão. O Galo venceu no Mineirão por 1 a 0, mas foi derrotado por 3 a 2 no Maracanã e foi vice de novo. Um erro da arbitragem no segundo jogo, com um impedimento mal assinalado quando a partida estava 2 a 2, é motivo de grande revolta do lado atleticano, pois o alvinegro sairia na cara do gol e tinha grandes chances de passar a frente no placar. Na sequência, o craque Reinaldo, que havia marcado os dois gols do Galo, foi expulso por tentar retardar o reinício do jogo.

O terceiro vice atleticano veio em 1999, ao ser derrotado pelo Corinthians. O Galo venceu o primeiro jogo, no Mineirão, e perdeu o segundo, no Morumbi. Pelo regulamento, foi realizado então um terceiro jogo, também no Morumbi, o qual terminou empatado em 0 a 0 e o Corinthians, que tinha a vantagem, saiu campeão. O Atlético também reclama de desfavorecimento nessa final, já que, no segundo jogo da final, um pênalti claro não foi marcado para o Galo e, no contra-ataque, o Corinthians abriu o placar, encaminhando a vitória por 2 a 0.

Os outros dois vice atleticanos ocorreram na era dos pontos corridos, em 2012 e 2015, quando foi vice para Fluminense e Corinthians, respectivamente.

Ao longo dos 50 anos sem o Brasileirão, o Atlético passou por muitas histórias além dos vices. Como em 85, em que era favorito e acabou caindo na semifinal de um campeonato que teve Coritiba (campeão) e Bangu na final. Além disso, o clube foi rebaixado pela primeira vez em sua história em 2005, uma mancha impossível de ser apagada por qualquer clube. Os lados positivos, dentro do Brasileirão, foram poucos, se prendendo apenas a alguns grandes jogos, sem conseguir o título. 

Historicamente, nessa última metade de um século, o atleticano sofreu muito na principal competição nacional, mas agora, finalmente, poderá sorrir e comemorar o bicampeonato Brasileiro. Pela primeira vez, não teve algo que impediu uma histórica campanha atleticana de sair do Brasileirão com a taça na mão.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top