Palmeiras

Palmeiras disputará pela 1ª vez a Recopa; Entenda porquê o clube nunca jogou o torneio

Recopa troféu
O atual campeão da Recopa é o Flamengo Foto: Divulgação/Conmebol

Na próxima quarta-feira (7), o Palmeiras entrará em campo para jogar, pela primeira vez na história, a Recopa Sul-americana. As duas partidas (ida e volta) serão contra o Defensa y Justicia (ARG), e caso vença, levantará uma taça que seus três maiores rivais já possuem. Mas por que o Verdão nunca disputou a competição, sendo que já foi campeão continental duas vezes nos anos 90? Entenda agora.

O torneio, realizado em um confronto envolvendo apenas dois times, começou em 1989. À época, definiu-se que ele seria decidido entre os campeões do ano anterior da Libertadores da América e da Supercopa Libertadores. Na primeira edição, o Nacional (URU), ganhador da Libertadores de 1988, bateu o Racing (ARG), vencedor da Supercopa do mesmo ano.

Enquanto a principal competição envolvendo clubes sul-americanos existe desde 1960, esta outra foi inaugurada em 1988, com o objetivo de reunir todos os times que já haviam erguido a tão sonhada Glória Eterna. O formato do certame era o mata-mata. Duas equipes brasileiras venceram: Cruzeiro (1991 e 1992) e São Paulo (1993).

Assim, a Recopa Sul-americana ocorria todos os anos entre os vencedores dessas competições, sendo disputado em jogos de ida e volta no campos dos envolvidos, e até, em algumas ocasiões, fora da América do Sul, em partida única. Porém, depois da edição de 1998, o certame acabou sendo extinto, pois a Supercopa deixou de acontecer (a última ocorreu em 1997). Como consequência, o Vasco da Gama não pode competir no ano de 1999, mesmo tendo faturado a Libertadores do ano anterior. Situação semelhante a do Verdão, que deveria jogar a competição em 2000, após a conquista da América em junho de 1999.

+Mudou! Palmeiras não disputará Recopa no Allianz; Entenda

+Vai ou fica? Zagueiro Alan Empereur tem futuro indefinido

Em substituição a Supercopa, foram criadas duas competições. A Copa Mercosul, envolvendo grandes clubes convidados dos países que eram aliados do bloco econômico sul-americano de mesmo nome – Brasil, Argentina, Uruguai, Chile e Bolívia (esta, porém, resolveu recusar o convite de participação). Foi elaborada também a Copa Merconorte, que seria composta por países da América do Sul que pertenciam ao bloco, além de nações das América Central e do Norte.

Porém, nenhum dos ganhadores dessas competições foi convidado a participar de uma Recopa contra o vitorioso da Liberta. O Palmeiras, por exemplo, ganhou o título da Mercosul em 1998, batendo o Cruzeiro na final, mas mesmo assim não jogou contra o então campeão da América (no caso o Vasco), no ano seguinte.

Ela só foi retornar quando essas duas competições (Mercosul e Merconorte) foram extintas, e no lugar delas foi inaugurada a Copa Sul-americana, em 2002. Assim, desde 2003, a competição existe no formato atual, com os triunfantes da Liberta e da Sul-americana se enfrentando em busca do troféu.

Portanto, como o alviverde nunca havia ganhado nenhuma das duas competições até janeiro desse ano, e quando foi campeão da Libertadores e Mercosul, a Recopa estava suspensa, ele só estreará no torneio agora, em 2021, como atual campeão sul-americano.

Os seus rivais tiveram a oportunidade de jogar a competição quando ganharam a Glória Eterna. O São Paulo venceu em 1993 e 1994, enquanto o Santos e o Corinthians triunfaram em 2012 e 2013, respectivamente. Agora, a partir da próxima quarta-feira (7), o elenco de jogadores comandados pelo português Abel Ferreira, terá a inédita chance de ganhar a competição e fazer o clube se igualar aos seus maiores rivais.

Para saber tudo sobre o Palmeiras, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top