Paralimpíadas

Paralimpíadas dia 7: Com dois ouros no lançamento de disco, Brasil fecha com cinco medalhas; veja o resumo do dia

Foto: Pedro Ramos/Rededoesporte.gov.br

O centésimo ouro do Brasil na história dos Jogos Paralímpicos não veio nesta segunda-feira (30), mas o atletismo e o lançamento de disco ajudaram o Brasil a chegar a 99ª medalhas de ouros e foram o carro chefe do atletismo, que rendeu quatro medalhas para o Brasil no dia. Claudiney Batista e Beth Gomes, ambos no lançamento de disco, conquistaram o primeiro lugar nos Jogos. Vinícius Rodrigues, nos 100m T63, por um centésimo, não levou o ouro, mas foi medalhista de prata. Alessandro Rodrigo conquistou outra prata no arremesso de peso e Bruna Alexandre conquistou a primeira medalha da história Paralímpica do Brasil no tênis de mesa.

Confira o calendário, horários e modalidades das Paralimpíadas de Tóquio.
+ Para saber tudo sobre os Jogos Paralímpicos de Tóquio, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

ATLETISMO 

O dia do lançamento de disco foi histórico, Claudiney e Beth não só levaram o ouro, como bateram recordes. Na madrugada, Claudiney quebrou o recorde paralímpico e a na na classe F56 da modalidade. O brasileiro lançou 45.59m, para ficar com a primeira medalha de ouro do Brasil no dia. Pela parte da manhã, Beth era favorita e fez história. Ela quebrou duas vezes o recorde mundial e conquistou a medalha de ouro no arremesso de disco na categoria F51, F52 e F53. A brasileira finalizou a prova com a marca de 17.62m, bem a frente da segunda colocada com 15.48m.

O atletismo trouxe mais duas medalhas, duas pratas. O brasileiro Vinicius Rodrigues, conquistou a medalha de prata nos 100m rasos da categoria T63. Ele terminou os 100m em 12.05s, já Anton Prokhorov, medalhista de ouro, terminou com o tempo de 12.04s, apenas um centésimo na frente de Vinícius. Já no arremesso de peso, Alessandro Rodrigo conquistou a prata na categoria F11. O brasileiro terminou com um arremesso de 13.89m, na frente do italiano, Oney Tapia, que atingiu 13.60m, mas ficou atrás do iraniano Mahdi Olad, que atingiu 14.43m.

O dia também teve uma notícia triste. Júlio César Agripino levou a pior nas eliminatórias dos 1.500m T11 masculino, classe do atletismo para competidores com grau máximo de deficiência visual. Júlio César, que é auxiliado pelo guia Lutimar Paes, chocou-se com o queniano David Korir, que guiava Erick Kiptoo Sang, na briga pelas primeiras posições e foi desqualificado.

TÊNIS DE MESA

A brasileira Bruna Alexandre fez um equilibrado e emocionante duelo no tênis de mesa, mas foi derrotada pela australiana Qian Yang por 3 sets a 1 e ficou com a medalha de prata na classe 10. Essa foi a primeira final do Brasil na história do tênis de mesa. Bruna perdeu pelas parciais (11 x 13, 11 x 6, 7 x 11 e 11 x 9).

GOALBALL

A Seleção Brasileira feminina entrou em quadra e venceu por 11 a 1, assim avançou para as quartas de final da competição. As brasileiras golearam o Egito, detalhe para Jéssica, artilheira com oito gols. Com a vitória, o Brasil ficou com a quarta posição no Grupo D e terá pela frente no duelo eliminatório a China, que terminou na liderança do outro grupo. 

FUTEBOL DE 5

O Brasil goleou o Japão por 4 a 0, confirmando sua classificação antecipada para as semifinais. Vale lembrar que o time masculino do Brasil nunca perdeu uma partida na modalidade em Paralimpíadas. Na última rodada da fase de grupos, o Brasil enfrenta a França, já eliminada, após perder duas partidas na competição.

VÔLEI SENTADO 

A Seleção Brasileira masculino de vôlei sentado perdeu para o Irã por 3 a 0. Com parciais (25/19, 25/23 e 25/22), o Brasil conheceu sua primeira derrota na competição. O Brasil detém três pódios mundiais na modalidade e está na sua busca pelo inédito ouro. No próximo duelo, a equipe encara a Alemanha. O Brasil precisa vencer para avançar às semifinais.

HALTEROFILISMO

A brasileira Tayana Medeiros disputou a final de Halterofilismo até 86kg feminino, porém bateu na trave e não conseguiu trazer uma medalha para o Brasil. A atleta ficou na quinta colocação.

NATAÇÃO 

Um dos destaques do Brasil, a natação não deu nenhuma medalha para o Brasil. O dia ficou marcado pela penúltima vez que Daniel Dias foi para a agua. O brasileiro tentou, mas não levou a medalha nos 50m costas da classe S5. O brasileiro, detentor de 27 medalhas paralímpicas, terminou no quinto lugar, com a marca de 35s99.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top