Futebol Internacional

Partida da MLS termina de forma espetacular com goleiro expulso nos pênaltis e zagueiro defendendo penalidade final; entenda

Foto: Divulgação / @MLS

A Major League Soccer, liga de futebol dos Estados Unidos, entrou ontem na sua fase de playoffs. Assim como em outros esportes, a liga tem o formato de uma fase de pontos corridos e outra de mata-mata. Neste sábado (21), um dos grandes duelos das quartas de finais aconteceu entre Orlando City, dos brasileiro Ruan, Jr Urso e Antônio Carlos, contra o NY City, do brasileiro Héber (machucado). E foi nesse jogo que aconteceu uma das coisas mais espetaculares do futebol.

A partida é única, havendo empate há prorrogação e prosseguindo, penalidades. O Orlando abriu o placar logo aos cinco minutos, com o craque português Nani, de pênalti. Mas apenas dois minutos depois o NY City empatou com gol do zagueiro Maxime Chanot. A partir seguiu com resultado até o fim graças aos goleiros, mas principalmente o peruano Pedro Gallese (o protagonista dessa história), que fez defesas inacreditáveis, como essas:

Vídeo: @MLS

Ainda no fim da primeira etapa, o lateral-direito brasileiro, Ruan, foi expulso ao agredir um adversário após uma disputa de bola. Com o empate no placar, o Orlando teve que segurar o fim do segundo tempo e toda a prorrogação com um a menos em campo. Para isso, usou das “malandragens” do futebol e fez cera. E é ai que a história começa a ficar inacreditável.

No primeiro tempo da prorrogação, o goleiro Gallese retardou bastante o jogo até levar um amarelo. O Orlando conseguiu se segurar e levou a disputa para os pênaltis. Nas cobranças, Maxi Moralez, o camisa 10 do NY City, errou a primeira. Depois dele, todos os próximos que bateram, converteram a penalidade. Até chega na última cobrança de cada clube.

O NY City batia primeiro, um dos craques do time, Castellanos, foi pra bola com a responsabilidade de converter, ou o time estaria eliminado. Contra ele, o goleiro Gallese, principal nome do jogo. Castellano bateu, Gallese fez a defesa e saiu pro abraço pra comemorar a classificação. Mas a história não para por ai!

O VAR alertou o juiz da partida que Gallese não tinha nenhum pé em cima da linha, o que é infração na regra e além da cobrança ter que se repetir, o goleiro tem que ser advertido com um amarelo. Como Gallese já tinha amarelo, ele foi expulso. Ou seja, o Orlando já estava comemorando a classificação e viu o pênalti ter que ser batido de novo e sem seu goleiro para defender. O Orlando até tentou colocar seu goleiro reserva, Brian Rowe, mas o clube não podia fazer esse tipo de coisa, alguém da linha teria que terminar a disputa de pênaltis no gol.

Apesar da loucura (que ainda vai piorar), o Orlando estava “tranquilo”, pois batava Nani converter o último pênalti que eles se classificavam. O zagueiro Schlegel vestiu a camisa de goleiro e foi para o gol. Castellanos repetiu a cobrança e converteu. Então restava Nani cobrar e correr pro abraço. Mas o português cobrou e viu o goleiro Sean Johnson, do NY City defender de forma espetacular. O que era tranquilidade para o Orlando, virou desespero. Mas mais uma vez, não para por ai!

Na primeira cobrança da disputa alternada, ambos os times marcaram. Mas ai apareceu o herói mais improvável de todos, Schelgel. O zagueiro que foi pro gol defendeu o pênalti de Thórarinsson e o Orlando marcou na sequência, se classificando para a próxima fase dos playoffs da MLS.

Confira toda a disputa:

Vídeo: @MLS
Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

To Top