Flamengo

Paulo Sousa lamenta chances perdidas pelo Flamengo, diz respeitar Jorge Jesus e manda recado

Paulo Sousa lamenta chances perdidas pelo Flamengo, diz respeitar Jorge Jesus e manda recado
Foto: Alexandre Vidal | Flamengo

O Flamengo entrou em campo na manhã deste domingo (8), no Mané Garrincha, em Brasília, para clássico com o Botafogo, partida válida pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado não foi o esperado pelo Rubro-Negro. O rival venceu o confronto por 1 a 0, gol de Erison. Na entrevista coletiva após o jogo, o treinador do time da Gávea, Paulo Sousa, lamentou que sua equipe não conseguiu converter em gols as diversas chances que teve durante os 90 minutos.

Siga o Esporte News Mundo no InstagramTwitterFacebook e Youtube.

– Acho que o volume de oportunidades foi avassalador, essa é a maior explicação. No pouco volume de transições ofensivas que o nosso adversário teve, conseguiu concretizar um gol. Nós tivemos várias oportunidades bem claras, tivemos um volume bastante grande. Tirando os primeiros 15 minutos, em que nos precipitamos e não tivemos o controle do jogo, a partir dos 15 organizamos bem, criamos, seja nos corredores, seja na parte central. Criamos bastante oportunidades, fizemos gol, foi anulado. Sobretudo, explica-se dessa forma. Tivemos várias oportunidades bem claras para poder sair daqui com uma vitória.

As lesões têm sido problema recorrente do Flamengo na temporada. Paulo Sousa falou sobre a quantidade de atletas que o Rubro-Negro tem no departamento médico.

– (Ficar) Irritado, não. Já disse aqui publicamente: temos uma relação com o departamento médico muito boa, temos muita confiança no trabalho deles. Procuramos interagir todos os dias, perceber o que podemos fazer para melhorar e ter os jogadores sempre disponíveis. Não tendo, temos mais dificuldade e instabilidades no processo, isso é óbvio. Até porque, sem a possibilidade de trabalhar, como o Botafogo teve durante a semana, conceitos, estratégias e poder aliar a participação de alguns jogadores, torna-se um agravante. No entanto, estamos confiantes de que vamos melhorar esse detalhe. A grande maioria das lesões são articulares ou lesões que não são muito normais acontecerem. Estamos tentando perceber de que forma podemos minimizar as lesões musculares.

E, obviamente, Jorge Jesus foi um dos temas da coletiva. O ex-técnico do Flamengo deu uma entrevista nesta semana dizendo que gostaria de voltar ao Rubro-Negro. As declarações conturbaram o ambiente no clube da Gávea. Paulo Sousa não gostou da atitude do compatriota, mas disse que o respeita e mandou um recado.

– Em relação ao Jorge, é um treinador que eu respeito. Respeito a história no Flamengo, respeito a importância dessa história e respeito aquilo que o Jorge foi no Flamengo em 2019. Mas também temos que respeitar o Paulo Carpegiani, que ganhou o título mais importante da história do clube, que é o Mundial de Clubes. Por isso é essa a situação – disse, completando:

– Eu só peço a Deus que abençoe a ele e a sua família. E que ele, muito sinceramente, tenha saúde, paz, sobretudo consigo mesmo. E sucesso.

+ Mesmo com derrota, David Luiz exalta atuação do Flamengo: ‘Fizemos um bom jogo’

+ AtuaçõesENM: Bruno Henrique se salva em péssima exibição coletiva do Flamengo; veja notas

O Flamengo volta a campo na próxima quarta-feira (11), quando enfrenta o Altos-PI, às 19h30, no Raulino de Oliveira, em partida de volta da terceira rodada da Copa do Brasil. No duelo de ida, o Rubro-Negro venceu por 2 a 1.

Confira outros tópicos da coletiva de Paulo Sousa

Sobre vencer e não convencer

– Penso que é uma pergunta muito distorcida. Acho que nós fomos bem superiores, temos feito bastantes gols. Na Libertadores temos marcado bastante, temos que melhorar nossa capacidade na capacitação defensiva, isso sim. A volta de alguns jogadores vai dar uma melhor capacidade defensiva. Esse é um ano sensível, que há uma ruptura e uma reconstrução de processos. Precisamos dar consistência e acreditar convictamente neles.

Vulnerabilidade defensiva

– Como disse, poderíamos ser mais consistentes se tivéssemos todos os jogadores disponíveis, estamos recuperando vários. Acho que em breve vamos ter. Em relação ao treino, é um processo mais difícil. Eu acredito no treino, em trabalhar conceitos em alta intensidade, muito próximo daquilo que é o jogo. Aquilo que procuramos é recuperar os jogadores para poder tê-los disponíveis. Temos sido infelizes em poucos lances que os adversários criam, mas vamos melhorar com certeza. Temos um grupo extraordinário que quer aprender e quer obter os resultados.

Aproveitamento no Brasileiro

– Hoje tudo fizemos para poder sairmos vencedores. Temos que continuar mantendo o índice ofensivo como hoje, mas mais efetivos para conseguir as vitórias. Temos que melhorar nossa organização defensiva, porque nossas transições são bastante boas. Sempre que baixamos o bloco, temos que ser ainda mais consistentes.

Questão psicológica

– Vendo esse gol, numa transição das poucas que não tivemos a capacidade de tomar decisões melhores, tivemos um momento que deixamos de ter esse mesmo controle, mas tivemos uma última parte avassaladora em que criamos muitas, de todo o tipo, oportunidades para criar, mas infelizmente não fizemos. Vamos continuar fazendo aquilo que acreditamos para poder já ganhar na próxima quarta-feira.

Relação com o grupo

– Eu penso que ficou bem demonstrado que a equipe corre, procura, acredita. A equipe cria as oportunidades para poder ganhar. Temos que jogar fora como jogamos em casa, o Flamengo tem que ter uma ideia bem consistente de mentalidade ganhadora. E aí tem que produzir, fazer o trabalho que nós fizemos. Temos, em todas as situações, que defender bem. É um momento que não tem sido positivo para nós, mas tenho certeza de que estamos convencidos que vamos ultrapassar.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top