Vasco

Pec exalta Nenê e dá créditos a Diniz por boa fase no Vasco: ‘Chegou carismático e me deu total confiança’

Gabriel Pec
Rafael Ribeiro/Vasco

Desde a chegada do técnico Fernando Diniz, o atacante Gabriel Pec vive um bom momento no Vasco. Em cinco jogos, o jogador de 20 anos tem se mostrado peça fundamental na melhora de desempenho coletivo e voltou até a marcar gols depois de quase seis meses. Em coletiva nesta quarta-feira, Pec revelou o que mudou com a chegada da nova comissão técnica vascaína.

– O que mudou foi que o professor chegou carismático, me chamou para conversar. Me deu total confiança. Ele vem me ajudando bastante a fazer meu jogo sobressair. A não pegar a bola de costas, não pegar a bola estando pressionado. Ele fala para sempre ter mais gente para poder fazer tabelas, o jogo curto. E pisar na área. Ele falou que tenho de me acostumar a meter bola para dentro do gol. Graças a Deus, meu gol saiu contra o Goiás e espero que eu possa ajudar a equipe com mais gols. Eu estou aqui para ajudar. Venho trabalhando forte, o professar me dá bastante confiança, conversa comigo. Reserva ou titular, vou entrar, dar o meu melhor e tentar ajudar o Vasco – explicou.

Outro responsável pela mudança de postura do time, na opinião de Pec, foi o meia Nenê. Segundo o cria de São Januário, a chegada do veterano alterou o ambiente nos bastidores.

– É um cara incrível, um ídolo para mim e para a torcida vascaína. Desde qe ele chegou, aumentou a confiança do grupo. Ele é alegre, brinca com todo mundo Dá apoio aos moleques. Dentro de campo, com o Nenê, a gente sabe que a jogada ficou mais qualificada. Dos pés dele, a qualquer momento, pode sair um passe. Foi assim para o meu gol contra o Goiás. Tem a motivação, né? Eu jogo com um cara que é ídolo no futebol mundial. Acredito que a chegada dele nos ajudou bastante dentro de campo. Cada dia a gente aprende mais com ele nos treinos e nos jogos – revelou Pec.

Veja outras respostas de Gabriel Pec

Secar os adversários na Série B

É claro que eu assisto, sim. São nossos adversários e vamos enfrentá-los. Eu fico secando, sim. Dentro de mim, tem um torcedor vascaíno. Um coração vascaíno. Estou aqui desde pequeno, torço muito pelo Vasco. Só que antes disso, o mais importante, é a gente pensar na gente, se fechar aqui e fazer as nossas vitórias. O mais importante é a gente ganhar. Temos de ganhar os nossos jogos – afirmou Pec. 

Mudança de postura

Desde que Diniz chegou, disse que aqui dentro a gente só poderia falar em acesso. Em subir. Isso nos faz pensar positivamente. Nos jogos, ele implementou um novo trabalho. Que dá certo. Vamos manter os pés no chão, mas pensar positivamente que vamos subir.

Torcida

A torcida do Vasco nos ajudou. Eles nos apoiam do começo ao fim. É uma peça importante. Em Aracaju, a recepção foi maravilhosa. Isso nos motiva mais. No Maranhão, falam que vai ser assim. Tomara mesmo. Isso nos ajuda. Só temos a agradecer. 

Lesão de Sarrafiore

Quando ele chegou chorando… No campo, eu não sabia o que tinha acontecido. Ele continuou. No vestiário, ao ser avaliado, foi visto que era joelho. Cruzado. Ficamos triste, ele chorou. O grupo está fechado. O Vasco está de portas abertas a ele. Vamos torcer pela recuperação. Ele já nos ajudou muito. 

Posicionamento tático

Desde que o Diniz chegou, ele falou que vou aprender a jogar em várias posições. No meio, pelos lados. Na base, sempre joguei pela direita. É só evoluir. Eu não tenho preferência. Onde me colocar, eu jogo. Na esquerda, eu consigo fazer tabelas com Nenê e Riquelme. Tem dado certo.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top