Corinthians

Perto de marca histórica pelo Corinthians, Cássio não define prazo para aposentadoria: ‘Pensar ano a ano’

Cássio comemorou marca a ser atingida pelo Corinthians. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians.

Depois de colecionar títulos e números importantes pelo Corinthians, o goleiro Cássio está perto de alcançar outra marca importante pelo clube. Caso entre em campo neste sábado (2), ele pode se tornar o sétimo jogador com mais partidas pelo Time do Parque São Jorge.

Com 549 jogos pelo Corinthians, Cássio está a um de igualar o ex-atacante Cláudio. Em entrevista coletiva concedida na tarde desta sexta-feira (1º) na sala de imprensa do CT Joaquim Grava, o arqueiro comemorou a conquista.

— Tudo com muito trabalho, dedicação, com ajuda de muita gente. Não se alcança nada sozinho. Me sinto muito feliz e lisonjeado de vestir essa camisa e de estar há tanto tempo num grande clube. Só quem jogou aqui sabe como é vestir essa camisa e representar uma nação — afirmou o goleiro.

— Posso até passar o Ronaldo [Giovanelli], mas para mim ele sempre vai ser o maior goleiro da história do Corinthians. Posso até ter mais títulos, mas ele é um cara que respeito muito. Não tem vaidade, ele fala super bem de mim também. Fico feliz de dar continuidade à história grandiosa do Corinthians — completou.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Aos 34 anos, Cássio está perto de completar uma década no Timão. O arqueiro ressaltou que segue motivado para seguir como titular do clube pelas próximas temporadas e que ainda não pensa numa aposentadoria tão próxima.

— Eu cheguei à décima temporada jogando ano a ano. Para goleiro, tenho muita coisa para dar ainda. Tenho em mente jogar até os 40 anos, me cuidando dentro e fora de campo, desempenho bom. Falar sobre o futuro é difícil, espero vestir o maior tempo possível a camisa do Corinthians. Temos um final de temporada importante, a gente olha para trás e vê o que construiu, que valeu a pena todo o sacrifício. Tenho muito respeito por todos e isso torna o Corinthians tão grande como é hoje. É um momento feliz que estou vivendo — destacou.

+ Corinthians divulga programação e valor de ingressos para partida que marca retorno da Fiel à Arena

Cássio disse não pensar numa aposentadoria próxima. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians.

Num elenco do Corinthians uma uma grande mescla de garotos das categorias de base com atletas mais experientes, Cássio disse ver jovens com potencial e que medalhões ajudarão o Alvinegro no restante da temporada.

— Você vê o amadurecimento de todos. A chegada dos jogadores experientes ajuda a dar confiança. Temos um treinador que ajuda muito nesse sentido. É lógico que eles têm jogado, muitas vezes em posições que nem são a deles. Os garotos podem contar com a gente. Fico muito feliz porque vimos a entrega dos jogadores que chegaram. Isso é muito legal, chegaram bem, dispostos a jogar e a ajudar. Eles poderiam ter ido para outros clubes, mas optaram pelo Corinthians — avaliou Cássio.

Confira outros pontos abordados por Cássio durante a entrevista:

Expectativa para o jogo contra o Bragantino:

— Um jogo muito difícil, o time do Bragantino é muito bom, conseguiu uma vaga para a final da Copa Sul-Americana. É um campo muito difícil, mas temos como objetivo subir na tabela e temos que ir lá e conquistar a vitória. Temos condições de fazer isso.

Potencial do Corinthians na temporada:

— Chegaram quatro jogadores de nível de seleção e automaticamente a qualidade do elenco melhorou. Estamos em um ponto de classificação pela Libertadores. O Corinthians é um clube que não pode ser subestimado. A história mostra isso. Todo mundo tem evoluído, tem jogadores comprometidos, que agregam ao elenco. Temos que pensar jogo a jogo. Nossa próxima final é amanhã, vamos tentar fazer um grande jogo e conquistar o resultado”

Manifestações de torcedores nas redes sociais:

— Creio que eu seja pouco ativo. Vejo muito pouco sobre o termômetro de torcida e essas coisas. Minha mulher sabe muito mais do que eu. A torcida do Corinthians é diferente. Peguei muitos jogos com a torcida do Corinthians, peguei fases ruins e nunca vi a torcida pegar no pé do jogador. Isso mostra o quanto a torcida é diferente. Cada um tem o direito de ter a sua opinião, eu respeito todas. Converso com as pessoas sobre o que está acontecendo, mas não me apego muito ao que está acontecendo na rede social.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top