Ponte Preta

Ponte Preta revitaliza Majestoso com 1.500 metros de grama; veja detalhes

Ponte Preta revitalizou o gramado do Estádio Moisés Lucarelli em pré-temporada
Crédito: Diego Almeida / AA Ponte Preta

Durante período de pré-temporada no mês de fevereiro, a diretoria executiva da Ponte Preta realizou processo de revitalização de todo campo no Estádio Moisés Lucarelli.

Macaca substituiu 1.500 metros de grama com ajuda de um grupo de funcionários e especialistas.

+ Ponte Preta mantém caça por reforços em 2021: ‘Atento às necessidades’

O principal objetivo da Alvinegra é ter as melhores condições possíveis no piso para estreia no Majestoso na próxima quinta-feira, 04 de março, diante do Santo André, a partir das 19h, pela segunda rodada do Campeonato Paulista – antes, porém, no sábado, visita o Novorizontino.

Embora o gramado fique disponível para uso no primeiro compromisso do clube campineiro na temporada, a maturação completa ocorre no intervalo de 20 dias.

“Assim que finalizar a atual etapa, o campo já receberá o processo de manutenção do pós-plantio com cortes para regularização de altura e fertilizantes químicos para apressar o enraizamento. É colocá-lo em condição de jogo nos padrões da CBF e Federação Paulista”, informa Lindomar Vedolin, administrador do estádio.

TECNOLOGIA

Além da modificação, Nega Véia também deu início à instalação do VAR no local para disputa do torneio regional.

Para que o funcionamento do árbitro de vídeo pudesse acontecer sem nenhum percalço, Ponte Preta colocou uma tubulação de três polegadas para passagem da fibra óptica até o totem – através da fibra será enviada a comunicação interligada ao caminhão de transmissão da TV.

Além disso, a diretoria fez, no CT do Jardim Eulina e no Moisés Lucarelli, corte vertical da grama, descompactação e aeração, cujo processo foi concluído com uma cobertura de areia média e adubo químico antes da sequência semanal de partidas.

“Fizemos corte vertical, aeração, descompactação de solo para cuidar da estrutura física e regularização de superfície para deixar o solo mais macio, além da substituição em pontos que eram considerados ruins”, diz o engenheiro agrônomo Fabrício Spolon, da GreenCare.

“Com este sistema, reduzimos drasticamente o número de emendas, o que permite o uso do campo em um tempo menor. É um processo adotado nos grandes gramados esportivos do país. Nós teremos ótimas condições para os campeonatos paulista e brasileiro”, emenda o profissional.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top