Campeonato Carioca

Presidente do sindicato dos atletas aprova protocolo médico feito pela Ferj: ‘Ninguém fará loucuras’

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) decidiu montar uma comissão de médicos e elaborar um documento próprio de protocolo médico, que foi chamado como “Jogo Seguro, para o retorno do futebol no Rio de Janeiro. Ainda sem data para retorno das atividades no estadual, o encontro virtual contou com cerca de 30 pessoas, sendo 20 médicos de clubes e ainda o infectologista Celso Ferreira.

Em contato com a reportagem do Esporte News Mundo, o presidente do Sindicato dos atletas, Alfredo Sampaio, aprovou a iniciativa da Ferj, mas declara que ninguém pode fazer “loucuras” para que haja o retorno do Campeonato Carioca. E ressaltou que ainda vão ser passado para os atletas, pois estão de férias.

– Avalio de forma positiva. Eles tem a intenção de retornar o Campeonato Carioca em maio, julho ou julho. Criar um protocolo de segurança muito bom. Acho que todos precisam que o futebol volte por conta da cota da Globo, mas tenho certeza que ninguém fará loucuras, enquanto puder ir conversando, criando até protocolos para serem aplicados acho que está perfeito. Isso ainda vai fazer muito discutido. Naturalmente, no dia em que se definir alguma coisa vou ter que levar para eles, mas agora eles estão de férias, não tem que conversar sobre isso – afirmou.

Além disso, o mandatário afirmou que há possibilidade de ocorrer os jogos com portões fechados, porém ainda está em fase de estudo e é apenas uma especulação para que a entidade esteja preparada para o retorno.

– Pode acontecer tudo desde que haja segurança. Isso são só especulações, possibilidades que estão sendo estudadas, quando o campeonato tiver a oportunidade de voltar. Mas isso depende da pandemia e vai depender da segurança. Acho prematuro ainda. A Ferj está buscando mecanismos para quando surgir a oportunidade ela está pronta e provavelmente vai ser com portões fechados, uma série de medidas – concluiu.

Pontos abordados pela Ferj:

Alguns pontos abordados foram: critérios de inclusão no grupo estabelecido para as atividades, sendo um número necessário; deslocamento do atleta; uniformes e acessórios; formação de corredor de segurança no local de treino; desinfecção e descontaminação; uso de sanitários; cuidados individuais; proibição de abertura de outros locais, como restaurante, cozinha…

Antes do compartilhamento de ideias, um Grupo de Trabalho foi formado para compilar as sugestões de todos os responsáveis: Christiano Cibelli (Botafogo), Eduardo Moraes (Boavista), Márcio Tannure (Flamengo), Marcos Teixeira (Vasco) e Celso Ramos Filho (Professor Titular de Doenças Infecciosas da Faculdade de Medicina da UFRJ).

O GT apresentará o texto do protocolo na próxima quarta-feira para todos os médicos darem a validação. Esse documento será enviado aos órgãos governamentais.

(Foto: Divulgação)

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

Ao topo