Guarani

Pressionado, Anaílson Neves solicita afastamento do Guarani: ‘Injustas ameaças’

Anaílson Neves, ao centro, pede afastamento do Conselho de Administração do Guarani | Crédito: Luís Cardoso / Guarani FC
— Continua depois da publicidade —

Alvo dos protestos das torcidas organizadas nas duas últimas semanas, Anaílson Neves solicitou, nesta quinta-feira, afastamento por 30 dias do Conselho de Administração do Guarani.

Em carta divulgada pelo Bugre, dirigente alega sofrer ‘absurdas e injustas ameaças por conta das falsas acusações’ enquanto está no principal cargo do clube, ao qual foi eleito para um mandato de três anos em 15 de março.

LEIA MAIS: Antigo alvo do Guarani, Abner Felipe fecha acordo com clube português

“Anaílson Batista Neves, na qualidade de membro do Conselho de Administração do Guarani Futebol Clube, venho, através da presente, solicitar meu afastamento por 30 dias, tendo em vista que venho sofrendo absurdas e injustas ameaças por conta de falsas acusações feitas a mim”, escreveu o cartola.

“Tais ameaças incluem vandalismos ao clube que tanto amo e minha presença, nesse momento, acabariam por prejudicar a obtenção de tranquilidade que o clube tanto busca e necessita. Nesse período, buscarei cuidar de minha família, que também vem sendo ameaçada. Provarei que as acusações feitas a mim são absurdas e descabidas”, acrescentou.

O afastamento por um mês deve ser revisto no início de outubro, haja vista saída maior necessitaria de aprovação do Conselho Deliberativo, cujo presidente é Marcelo Galli.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

Ao topo