Mais Esportes

Qual o segredo do backhand voador de Denis Shapovalov?

Denis Shapovalov
Reprodução/YouTube

Denis Shapovalov tem um estilo de jogo bonito aos olhos de quem vê. Bate a esquerda com uma mão e é canhoto, características potenciais para ter um dos golpes mais bonitos do circuito. Mas o que realmente impressiona é seu backhand  voador. O jovem canadense deu dicas de como efetuar esse golpe com maestria ao canal da ATP no YouTube. Pronto para aprender a batida e efetuar contra seus amigos?

No vídeo ele explica que sempre executou esse golpe desde o juvenil e veio naturalmente. Segundo Shapovalov a batida pode ser dividida em algumas partes: reconhecimento, espaço, Footwork (trabalho de pés), take back e timing (afinação).

Reconhecimento

De imediato Shapovalov reconhece qual a bola certa e descobre seu posicionamento central. Normalmente as bolas ideias são as mais lentas e que ficam mais altas, assim, o jogador tem tempo de realizar o salto no momento ideal.

Espaço

O segredo nesta etapa é criar espaço suficiente para o tenista ficar atrás da bolinha. Consequentemente, o atleta tem tempo para ir em frente e atacar a bola com o salto. Se o jogador aproxima-se demais da bola, ele não tempo de reação e a batida perde qualidade.

Footwork (trabalho de pés)

Shapovalov afirma que neste momento o objetivo é estar confortável com o trabalho dos pés. O jovem mostra um exercício para trabalhar e se acostumar com o posicionamento correto dos membros inferiores. O salto começa com um pé, o balanço e a aterrisagem com o mesmo pé. Repita o drill algumas vezes até sua consolidação.

Take back

Take back é o movimento que leva a raquete para trás. Esse ponto depende muito de cada tenista. Existem diferentes técnicas e preferências. Por exemplo, no caso do canadense, ele tem uma preparação do backhand mais longa, precisa de mais espaço e gosta de armar o golpe mais cedo. Ele cita Roger Federer e Grigor Dimitrov para fazer um contraponto. Ambos os tenistas tem um take back mais curto e precisam entrar na bola um pouco mais perto do corpo.

Timing (afinação)

Shapovalov relata a importância de se acostumar com o tempo e o momento mais confortável para a execução do golpe. O próximo exercício não precisará da raquete. O atleta fará o mesmo movimento, o mesmo drill da terceira etapa, contudo, pegará a bolinha apenas com uma das mãos.

O que achou das dicas do jovem canadense? Está pronto para adicionar o backhand voador no seu jogo?

LEIA MAIS

Luisa Stefani estreia na chave de duplas do WTA de Abu Dhabi nesta quarta-feira

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top