Futebol Internacional

Real Betis abre escolinhas de futebol no Iraque e no Zimbábue em busca de ampliação de sua marca

FOTO: DIVULGAÇÃO

Com o apoio de seu departamento de desenvolvimento de negócios internacionais, o Real Betis está desenvolvendo um projeto de educação global por meio do futebol. O seu objetivo não é apenas desenvolver novos talentos, mas proporcionar acesso a uma boa educação e lutar contra a marginalização e a exclusão social.

Mais de 1000 meninos e meninas de fora da Espanha já tiveram a chance de treinar sob a metodologia do clube. Ao mesmo tempo, ao chegar a novos países e implantar esses projetos, o clube fica em melhor posição para desenvolver a atividade comercial nesses mercados e expandir sua marca.

— O Real Betis está atraindo um maior interesse de fora da Espanha e isso contribui para expandir nossa marca através do futebol — explicou Ramón Alarcón, diretor geral de negócios do clube — Queremos transmitir nossos valores, nossas cores, nossas formas de trabalhar, tudo o que representa o Betis, em uma metodologia com a qual todas as nossas equipes juvenis trabalham — finalizou Alarcón.

Novo projeto em Bagdá beneficiará 400 meninos e meninas

Durante as últimas temporadas, o clube desenvolveu seus projetos de expansão internacional com o lançamento de diferentes projetos de futebol em todo o mundo. Seus programas de treinamento estão operacionais em Reno, Fresno e Lemoore (Estados Unidos), Cidade do México, Toluca, Monterrey, Guadalajara (México), Fez (Marrocos) e Wenzhou (China).

Em janeiro, será inaugurada a primeira escola de futebol do Betis em Bagdá (Iraque), com o objetivo de desenvolver o futebol de base no país por meio da metodologia do clube. As complicações da pandemia não impediram a internacionalização do Betis – mas, devido à situação atual, alterou o lançamento inicial do projeto para um formato online. Quando a situação de saúde permitir, um treinador assumirá as atividades pessoalmente.

Zimbábue: um ponto de partida para o crescimento na África

Ao mesmo tempo, a primeira escola de futebol do Betis no continente africano está prestes a começar em Harare, capital do Zimbábue. A partir daqui o clube pretende lançar uma série de novas iniciativas no país africano para estender a marca Betis na África. Inicialmente, ele proporcionará a centenas de jovens um programa educacional de futebol de elite.

— A ideia é transmitir o estilo futebolístico do clube e os valores que nos caracterizam, como a fé inabalável, a capacidade de superação, o saber levantar-se nos piores momentos e a ligação com as pessoas — destacou Alarcón.

Alarcón acrescentou que a promoção deste tipo de projeto tem um peso significativo do ponto de vista esportivo e social. “Nesta situação excepcional, acordos como este nos deixam especialmente entusiasmados e nos enchem de otimismo, pois nos mostram que tanto o clube como seus parceiros em todo o mundo trabalham para que os jovens possam desfrutar do futebol”, argumentou.

Estratégia de crescimento definida de acordo com o território

— Dentro do nosso plano de expansão internacional, sabemos que existem diferentes níveis de ação necessários, dependendo do país em que estamos — continuou Alarcón — Existem mercados onde o treinamento e a educação dos jogadores são mais importantes, como China, África e Sudeste Asiático. Porém, nos Estados Unidos e no México, os projetos esportivos se concentram mais na expansão da marca — afirmou.

O clube escolhe os mercados para entrar com base em critérios cuidadosamente estabelecidos — Em primeiro lugar, consideramos o crescimento que a LaLiga tem tido nesse território, pois vamos trabalhar lado a lado com a competição — disse Alarcón.

— Outra característica muito importante é o público e o número de seguidores que temos nas nossas plataformas de redes sociais — continuou — Os jogadores também desempenham um papel relevante, sejam eles atuais ou não do nosso time, porque nos dão um impacto local acrescido — finalizou o dirigente.

O papel dos jogadores internacionais tem sido particularmente importante no México, um país onde o Betis teve um forte crescimento nos últimos anos — O México é o país com mais seguidores LaLiga fora da Espanha e ao mesmo tempo é um país onde temos muitos seguidores graças a dois jogadores mexicanos (Andrés Guarded e Diego Lainez) no elenco — explicou Alarcón.

O clube detectou um aumento do número de fãs nos territórios onde desenvolve os seus projetos esportivos, ao mesmo tempo que atrai o interesse comercial local. Isso é auxiliado por um aumento na cobertura da mídia em nível local, o que traz visibilidade significativa da marca para o clube.

O Real Betis está, portanto, focado em continuar o crescimento de suas escolas de futebol com a ambição de chegar ao maior número possível de jovens em novos territórios — Queremos continuar trabalhando, avançando e crescendo com a ideia de incorporar novas academias/bases — concluiu Alarcón — Ao mesmo tempo, buscamos incorporar novos parceiros locais que nos permitam continuar crescendo em todas as linhas de atuação — finalizou o dirigente do Betis.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top