Cruzeiro

Antes de Remo x Cruzeiro, Marcinho diz: ‘A gente tem que virar essa chave de qualquer forma’.

Antes de Remo x Cruzeiro, Marcinho diz: 'A gente tem que virar essa chave de qualquer forma'.
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Na tarde desta segunda-feira (19), Marcinho, do Cruzeiro, concedeu entrevista coletiva na Toca da Raposa e falou sobre o próximo confronto do clube, que ocorre amanhã, contra o Remo. Confira as principais declarações do meia:

Necessidade de vencer o Remo

— A gente não vem de uma sequência boa. Se não me engano, são cinco jogos sem vencer. A gente tem que virar essa chave de qualquer forma, porque tá sendo difícil. O Cruzeiro não pode estar nessa situação que se encontra. Sabemos da dificuldade do jogo contra o Remo, mas temos que impor nosso jogo, nosso ritmo e fazer tudo aquilo que a gente vem trabalhando para possamos sair dessa situação. É um jogo difícil mas temos que entrar focados e determinados para a conseguirmos buscar nossa vitória e dar uma sequência no campeonato, uma sequência boa, para ganhar confiança. Só assim a gente vai conseguir, passo a passo, sair dali debaixo e estar entre os dez primeiros. E é claro, sempre mirando o G4, que é nosso objetivo maior.

Leia também: Em entrevista, Vittorio Medioli diz: ‘As práticas dentro do Cruzeiro são as piores possíveis’.

Equilíbrio defensivo

— Isso é complicado de falar. A gente começa o jogo não querendo tomar gols e está acontecendo. Um erro da gente ali na frente, um erro da gente ali atrás e o adversário acaba marcando gol. O adversário precisa de uma chance só, vai e faz o gol. A gente tem que corrigir isso o mais rápido. Não podemos errar mais no campeonato, a gente já errou muito. A gente tem que entrar mais focado, mais ligado, sabendo o que a gente quer no campeonato. Não dá mais tempo da gente ficar perdendo ponto. A gente só tem que pensar em vitórias, somar pontos, para que a gente possa conseguir nossos objetivos jogo a jogo pra que a gente possa conseguir nossos objetivos maiores no campeonato.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top