Cruzeiro

Rodrigo Pastana, novo diretor de futebol do Cruzeiro, comenta polêmicas do passado e metodologia de trabalho

Foto: Cruzeiro/Divulgação

O Cruzeiro anunciou neste domingo (6), horas antes de entrar em campo contra o CRB pela Série B do Campeonato Brasileiro, Rodrigo Pastana, ex-CSA, como o novo diretor de futebol do clube. E, após o seu anúncio, o dirigente concedeu entrevista coletiva ao canal oficial da Raposa. Apesar de ainda não ter avaliado o elenco cruzeirense, ele destacou a sua metodologia de trabalho, em busca do “equilíbrio”.

— Costumo trabalhar com a comissão técnica dentro do seu modelo de jogo, com análise de desempenho, com o presidente, aqui temos a figura do diretor técnico que o Deivid, que está há um ano no clube. Com o conhecimento dessas pessoas, acho que teria melhores critérios para avaliar uma contratação ou outra. Quanto aos garotos da base, não podemos nos esquecer que o objetivo maior do clube é subir para a Série A e esses jogadores da base sobem com uma grande minutagem, porque se trata de um clube gigante, que disputa grandes competições no cenário nacional, então, eles já têm minutagem considerável para que performarem. Agora, eles serem titulares é uma opção do treinador e é claro que alguns o clube decide por emprestá-los para que evoluam em algum clube do qual somos parceiros e depois voltem a performar aqui. É um processo natural, é normal que um jogador da base seja preterido por um que contratado agora.

Sobre o diagnóstico do elenco, Rodrigo Pastana confirmou que esse será uma medida tomada nas próximas semanas – em torno de três ou quatro. A partir disso, o novo diretor de futebol do Cruzeiro disse que irá tomar as decisões cabíveis, incluindo possíveis contratações.

— Vamos fazer esse diagnóstico nas próximas três, quatro rodadas. Eu já conversei sim com o Deivid, já vinha conversando com o presidente, com o Toninho, que é o nosso chefe de análise de mercado e com o próprio Felipe para que a gente rapidamente identifique as lacunas e, se necessário, vamos trazer sim alguns reforços —, declarou.

Ainda sobre as contratações, Rodrigo Pastana destacou que o “objetivo que se faz urgente é o acesso” e, portanto, as decisões serão seguindo essa linha. Segundo ele, a situação do meia Marcinho, do Cruzeiro, que estava em seus planos quando ainda comandava a direção de futebol do CSA, ainda será analisada com a diretoria celeste. Conforme Pastana, o próprio representante do jogador, ao saber de sua vinda para Belo Horizonte, preferiu paralisar as negociações.

POLÊMICAS PASSADAS…

Rodrigo Pastana coleciona, em sua carreira, algumas polêmicas. Durante a entrevista, o novo diretor da Raposa aproveitou o momento para esclarecer os ocorridos.

— Sobre improbidade administrativa, ela vem de um convênio que o Barueri tinha com a prefeitura de Barueri. Eu nunca fui funcionário público, eu era simplesmente sócio minoritário do clube e fomos absolvidos de tal processo em 2018. Quanto às acusações do Argel, todo mundo que me conhece sabe que são infundadas, ele vai responder na justiça por tudo que falou. Agora, uma coisa que deixa a gente indignado no Brasil é que quem acusa não precisa provar, quem se defende é que precisa. Então, esse caso está entregue à Justiça e eu prefiro não comentar mais sobre ele. Quanto ao Jadson, foi uma expressão equivocada da minha parte. São bastidores e a gente confere informações sobre os jogadores que são pleiteados pela comissão técnica, indicados por agentes ou análise de desempenho, que eu uso muito, e na época as informações não foram muito boas e eu me equivoquei em externar isso em uma coletiva, infelizmente, porque havia uma tentativa de pressão sobre contratações, quando era executivo do Coritiba, até me desculpo com o Jadson —, comentou Rodrigo Pastana.

Ainda no quesito polêmicas, Pastana comentou sobre sua relação com empresários, já que essa é uma ligação importante no momento de contratações. Para o diretor de futebol, essa relação é saudável e somente profissional.

— Essa relação com os empresários é saudável. Claro que ela tem um âmbito somente profissional, a gente tem que tomar muito cuidado nessa relação para que ela não passe dos limites, eu já tive acusações infundadas por causa disso com o Argel, todos sabem. Mas eu tento ter uma relação saudável para que o clube não se prejudique e quanto a rejeição de algum atleta ou empresário para que tragam os jogadores para o Cruzeiro, eu não acredito nisso. O Cruzeiro é gigante, todo jogador tem o sonho de vestir a camisa do Cruzeiro e no meu caso eu acredito que será um facilitador eu estar no Cruzeiro agora para trazer algum jogador, seja de que posição for. Nós não identificamos ainda, mas se tiverem lacunas, vamos preencher e todo jogador gostaria de vestir a camisa do Cruzeiro.

PROTESTO DA TORCIDA

Parte da torcida do Cruzeiro, em razão das polêmicas, não agradou muito da contratação do executivo para comandar o departamento de futebol do clube. Não à toa, uma série de protestos foram feitos nas redes sociais e, também, nas ruas, nesse sábado (5). Rodrigo Pastana comentou a situação e disse ter conhecimento e respeito pelas manifestações feitas pelos torcedores.

Veja também: O que a derrota na estreia do Brasileiro representa para o Cruzeiro? Confira o histórico celeste

— Tomei conhecimento sim e vejo com total respeito. É mais uma responsabilidade que eu tenho com a nação azul, de me empenhar cada vez mais e de mudar esses índices de rejeição. Eu torço para que abraçados no final da Série B mude tudo isso, mude essa rejeição considerável que estou tendo e eu estou a par sim dessa rejeição e dos protestos que houveram. Sou um cara extremamente democrático, acho que a torcida tem todo direito de se manifestar, contra ou a favor, hoje, no futebol há uma deflagração da paixão do futebol. Quanto ao Marcinho, estavámos negociando a ida dele para o CSA e quando o próprio agente ouviu boatos de que eu viria para cá, pediu para que eu esperasse um pouco que ele ia falar com o atleta. Enfim, eu ainda não tinha acertado, precisava chegar aqui e precisar saber os motivos do afastamento. Então, ainda não tenho a resposta.

Por fim, Pastana agradeceu a oportunidade de assumir a direção de futebol do Cruzeiro. Segundo ele, esse é o maio desafio de sua carreira.

— Com certeza, é o maio desafio da minha vida, eu espero corresponder a toda essa expectativa da nação azul com muito empenho e muito trabalho, juntamente com a torcida que corre junto com o Cruzeiro em busca de mais um título. É isso que buscamos: o acesso à Série A.

Rodrigo Pastana é o quarto diretor de futebol do Cruzeiro em um ano. Antes dele, a Raposa tinha André Mazzuco na direção, que teve como precedentes Ricardo Drubscky e Deivid.

Para saber tudo sobre o Cruzeiro, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top