Corinthians

Róger Guedes tem nome gritado pela torcida, mas não corresponde em campo; veja números

Róger Guedes não aproveitou a chance que teve contra o Always Ready. Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians.

Protagonista de uma queda de braço com o técnico Vítor Pereira, Róger Guedes voltou a começar uma partida no banco de reservas, apesar de uma escalação alternativa do Corinthians contra o Always Ready, pela Libertadores.

Enquanto o Timão empatava a partida e sofria para criar chances reais de gol, a torcida clamou pela entrada do atacante. Das arquibancadas gritaram “É, Róger Guedes”. Pouco tempo depois, o auxiliar Filipe Almeida chamou o camisa 9, que teve a chance de voltar a campo após dois jogos.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Róger Guedes entrou aos 24 minutos do segundo tempo, no lugar de Giuliano e, num primeiro momento, flutuou pelo ataque, sem posicionamento fixo. Após a saída de Jô, por lesão, passou a atuar mais como um centroavante.

Apesar de ter ajudado a pressionar o Always Ready, principalmente nos momentos finais da partida, o atacante pouco atuou de forma efetiva para buscar o desempate e o gol da vitória.

De acordo com o Sofascore, site especializado em estatísticas, Róger Guedes deu apenas nove toques na bola, perdeu a posse três vezes, deu um drible, um cruzamento e não finalizou a gol nos 27 minutos em que esteve em campo.

+ Apesar de classificado, Corinthians tem recorde negativo de gols e pontos na Libertadores

+ Dupla lamenta resultado e chances perdidas no empate com Always Ready

— O Róger treinou bem, esteve disponível para nos ajudar. Entendemos que a equipe que devia iniciar era com outros jogadores. No decorrer do jogo, vimos que era o momento de ele entrar, e ele tentar ajudar, correspondeu com o que pretendíamos. Nosso entendimento é saudável — disse o auxiliar Filipe Almeida.

Com a suspensão cumprida, Vítor Pereira volta a comandar o Corinthians na sequência do Brasileirão e nas oitavas de final da Libertadores, e caberá ao treinador decidir se o atacante merece mais uma chance ou se voltará ao banco de reservas.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top