Fluminense

Roger Machado exalta vitória sobre o Santos, mas comenta dificuldade do jogo: ‘Muito difícil jogar contra os times do Fernando Diniz’

Roger Machado Fluminense
FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

O Fluminense conquistou mais uma vitória no Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira, o Tricolor enfrentou o Santos, no Maracanã, e, com gol de Nenê, garantiu os três pontos. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Roger Machado falou sobre a dificuldade de enfrentar o estilo de jogo de Fernando Diniz.

— É sempre muito difícil jogar contra os times do Fernando Diniz. São times que têm uma rotação grande, trocam muito de posição, pesam o lado com o corredor lateral, tentando ter superioridade numérica, em especial do lado esquerdo no jogo de hoje. Foi preciso a ajuda do terceiro jogador de meio, do nosso tripé. Porque teríamos, na maioria das vezes, nossos dois volantes em corredor lateral para equilibrar esse número de jogadores. Às vezes não conseguimos fazer isso com agilidade e eles conseguiram chegar com um pouco de superioridade no corredor lateral — destacou o comandante do Tricolor.

Siga o Esporte News Mundo no InstagramTwitterFacebook e Youtube.

O próximo jogo dos comandados de Roger Machado será contra o Fortaleza, no domingo (20), às 18h15, no Castelão, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. As duas equipes ainda não perderam na competição.

VEJA MAIS:
++ Nenê marca o gol da vitória no 100º jogo com a camisa do Flu e explica: ‘Estou jogando numa posição diferente’

VEJA OUTRAS RESPOSTAS DE ROGER MACHADO

TROCAS DURANTE A PARTIDA

— Sabíamos que seria um jogo de poucas oportunidades, mas era importante vencer. Alternamos bloco baixo e bloco de pressão alta. Para isso você precisa estar com as peças descansadas o tempo inteiro, então as trocas foram por isso, para mantermos o frescor dos jogadores da frente e seguir pressionando.

JOGADA DO GOL

— O gol saiu em uma troca de corredor. Da mesma forma que o Santos coloca muita gente perto da bola para jogar, automaticamente, quando perde, está com muita gente no pós-perda. Então seria muito difícil sairmos pelo mesmo lado. Era importante nós virarmos o jogo, inverter o corredor, e tentar avançar pelo corredor oposto para depois acessar a área. Em algumas vezes que fizemos isso levamos vantagem. Nosso gol saiu em uma jogada dessa, que originou um lateral e do lateral saiu o gol em uma jogada dentro da área.

ERROS NA PARTIDA

— O que talvez tenhamos pecado em alguns momentos foi um pé na bola, um desarme que não conseguimos acelerar para pegar o time do Santos desarrumado, e uma ou outra oportunidade que vazou a pressão e eles conseguiram contra-ataque rápido em nossa linha. Mas conseguimos intervir e, na maioria das vezes, cessar esses ataques.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top