Atlético-MG

Segredos de Sampaoli, Daniel Alves ídolo, time de infância… Maílton, do Atlético-MG, abre jogo ao ENM

O lateral direito do Atlético, Maílton, em entrevista exclusiva ao Esporte News Mundo, fez uma viagem no tempo. Começou por suas origens e foi até o futuro que vislumbra para si. Em um papo descontraído, o jogador de 22 anos demonstrou ambição de jogar no futebol europeu, listou os diferenciais do técnico Jorge Sampaoli e quando desafiado, com muito bom humor, não aliviou para os companheiros. Veja a entrevista na íntegra no vídeo acima.

+ Veja todas as notícias do Atlético-MG

Nascido no Paraná e criado na Bahia, o atleta de 22 anos revelou idolatria por Miranda e Daniel Alves, que disputaram a última Copa do Mundo pela Seleção Brasileira. O zagueiro é um dos responsáveis por gerir a carreira de Maílton, conta o entrevistado . O segundo, colega de posição, funciona como espelho. Afinal, fez história pelo Barcelona, clube pelo qual Maílton sonha em atuar. Veja a entrevista na íntegra no vídeo acima.

– Eu sempre acompanhei muito o Barcelona, na época do Neymar, quando formou o trio MSN (Messi, Suárez e Neymar)… Eu tenho um carinho enorme pelo Barça, acho que seria um sonho a mais a ser realizado sem dúvidas – projeta o jogador.

+ Acompanhe o dia do Galo

Estratégia motivadora

O time que Sampaoli manda a campo é uma incógnita não só para a torcida, mas também para os jogadores, diz Maílton. O treinador se notabiliza por mexer muito no time e não ter uma “escalação titular”. O atleta vê com bons olhos a linha adotada pelo argentino. Segundo o lateral, o rodízio mantém o elenco motivado, uma vez que todos podem ser utilizados a qualquer momento – assim como já aconteceu com ele.

– Pra gente é uma motivação a mais. A gente está sempre trabalhando muito forte, porque a qualquer momento a oportunidade pode aparecer e você tem que estar preparado. Acho que isso acaba motivando cada vez mais os atletas a estar trabalhando, a estar se doando. Não só eu, como todos os atletas que estão ali trabalhando, estão se doando, e ele vai escolher os nomes que vão estar melhor para a semana, para o jogo. Isso é bom porque deixa um ponto de interrogação na cabeça dele ali também. – afirmou Maílton.

Siga o Instagram do Esporte News Mundo

Ainda falando sobre o estilo de jogo do treinador alvinegro, Maílton destacou algumas características como os diferenciais de Sampaoli.

– Ele tem esse método de estar buscando sempre a vitória, de estar buscando ficar com a bola o tempo inteiro durante o jogo, pressionando em cima, buscando em cima, eu acho que esse é o diferencial dele: estar o tempo inteiro com a bola e quando está sem ela, pressionar pra ter ela o mais rápido possível e construir jogadas pelo ponto fraco das outras equipes – ressaltou o jogador.

Trajetória no Galo

Revelado pelo Palmeiras, e com passagens no Santa Cruz, Mirassol e Operário, Maílton contou que sempre desejou jogar no clube alvinegro.

– Então, quando eu estava no Operário, eu recebi a proposta, e pela história que tem o clube, pela história de tudo que já viveu, dos títulos que já ganhou, eu sempre deixei claro para ele (empresário). Foi muito fácil, pelo projeto que me apresentaram, por tudo que me apresentaram, não foi muito difícil essa escolha. Eu sempre deixei claro essa vontade de vir pra cá. – falou o atleta.

Desde que chegou no clube, Maílton realizou oito jogos com a camisa do Atlético. Dessas partidas, seis ocorreram antes da pandemia, quando a torcida ia ao estádio, mas uma foi bem marcante para o lateral alvinegro.

– No começo, como você falou, tiveram algumas partidas com torcida. Eu tive a oportunidade de fazer um gol aqui com o Independência lotado. Então foi um marco pra mim, vai ficar marcado pro resto da minha vida, estrear em um time do tamanho do Atlético fazendo gol, dando alegria para a torcida, não teve coisa melhor. – ressaltou o jogador.

Por fim, Maílton falou sobre a relação com os companheiros de equipe. Em uma brincadeira, ele revelou de quem é mais próximo , mas deixou claro a boa convivência entre o elenco alvinegro:

– Desde que eu cheguei aqui, eu fui muito bem recepcionado. Eu cheguei, logo em seguida o Arana chegou, e ele foi um cara que sempre me deu muita moral aqui. Fiquei muito parceiro dele, do Guguinha. Mas nos bastidores do Atlético é todo mundo muito fechado, uma equipe muito unida.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top