Cruzeiro

Stênio sobre transição para o profissional do Cruzeiro: ‘Eu acho que eu evoluí demais, mesmo ficando um bom tempo parado por causa da lesão’

Stênio sobre transição para o profissional do Cruzeiro: 'Eu acho que eu evoluí demais, mesmo ficando um bom tempo parado por causa da lesão'
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Após voltar a entrar em campo depois quase três meses parado, o atacante Stênio, de 18 anos, concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira (4), na Toca da Raposa II. O atleta falou sobre diversos assuntos, dentre eles a relação de aprendizado com atletas mais experientes, sua relação de amizade com o jovem zagueiro Weverton e sua estreia na temporada 2021.

— Eu acho que foi uma boa oportunidade. Deu para aproveitar bem, deu para correr, deu para tirar essa ansiedade que estava, já que esse ano eu quase não atuei ainda. Daí eu estava muito ansioso para chegar, chegou, e foi muito bom. Acho que eu consegui me soltar mais, ficar mais solto dentro de campo.

Promovido ao time principal no último ano, quando tinha apenas 18 anos, Stênio é um dos caçulas do elenco do Cruzeiro. O jogador comentou sobre as diferenças entre o futebol praticado nas categorias de base e no profissional.

— Eu acho que o jogo no profissional é um jogo muito mais maduro que na base, é um jogo muito rápido, é um jogo que tem que se pensar muito. Eu acho que eu evoluí demais, mesmo ficando um bom tempo parado por causa da lesão. Acho que foi muito importante esse um ano, deu para evoluir demais e aprender muito aqui no profissional.

O atleta também comentou sobre a disputa no ataque do Cruzeiro, uma das posições mais recheadas de opções no elenco.

— Eu acho que disputa no ataque está boa, todo mundo está conseguindo jogar bem, daí um vai ajudando o outro a evoluir mais, a se dedicar mais, se empenhar mais, para que alguém possa assumir a vaga.

Veja também: Cruzeiro nunca perdeu para o Patrocinense, adversário do próximo domingo

Orientação e amizade

Stênio destacou os ensinamentos que recebem de jogadores mais experientes do Cruzeiro, como é o caso de Rafael Sóbis e Airton, sendo este segundo também um jovem, mas ainda assim com mais rodagem que ele.

—  O Sóbis costuma falar muito comigo. me orientar. o Airton também fala muito comigo para me orientar ali, para dar umas dicas. E eu acho que isso é muito importante porque a gente é novo e tem que aprender com os mais velhos que estão do mundo do futebol a bastante tempo.

Outro ponto tocado por Stênio foi sua amizade com o jovem companheiro Weverton, que esteve com ele por muitos anos na base do Cruzeiro e agora tem se destacando nos seus primeiros passos como profissional, já sendo o titular da equipe.

—  Eu fico muito feliz pelo Weverton, a gente teve na base desde sub-14, até o sub-17, sub-18, por aí. A gente está junto desde muito novo, a gente foi para a Seleção junto, sempre ficou muito junto, e eu fico muito feliz com o que ele está conseguindo mostrar no profissional, porque ele trabalhou muito desde cedo para chegar essa oportunidade e ele estar preparado.

O jogador falou sobre a oportunidade de defender o Cruzeiro num ano tão importante como o Centenário da instituição.

—  É uma oportunidade incrível o ano do Centenário, é um ano que vai ficar marcado e vestir essa camisa no ano Centenário é algo inexplicável.

Por fim, Stênio afirmou que para conseguir a classificação para as semifinais do Campeonato Mineiro basta que o Cruzeiro jogue como vinha jogando na boa sequência conquistada de cinco vitórias seguidas, que só foi quebrada na última rodada do Estadual.

—  Eu acho que nós temos que fazer o que a gente vinha fazendo nos jogos, a gente teve uma sequência muito boa e se a gente conseguir aplicar o que aplicou nos últimos jogos eu tenho certeza que a gente pode sair com a vitória.

Para saber tudo sobre o Cruzeiro, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top