Corinthians

Súmula da arbitragem revela versões de Edenilson e Rafael Ramos sobre acusação de injúria racial

Ricardo Duarte/Internacional

A partida entre Internacional e Corinthians foi de muita qualidade neste sábado (14). O empate em 2 a 2, no entanto, ficou marcado por um episódio de séria acusação. Próximo a metade do segundo tempo, o jogo foi paralisado por causa de uma confusão, em que o volante Edenilson, do Colorado, acusou o lateral-direito Rafael Ramos, do Timão, de injúria racial.

O lance aconteceu próximo ao minuto trinta da partida. Em uma cobrança lateral ofensiva do Internacional, Edenilson e Rafael Ramos trocaram empurrões e, após isso, o volante colorado ficou visivelmente incomodado. Rapidamente foi para cima do atleta português o acusando de injúria racial. Na sequência, cercado de jogadores do Corinthians, de forma visível cobrou que o adversário assumisse que o havia chamado de “macaco”.

Mesmo diante desta acusação, todavia, a arbitragem nada pode fazer. De acordo com o relatado em súmula pelo juiz na partida, não foi possível ouvir a ofensa no momento em que foi proferia ao Edenilson e, como o VAR não pode interferir em lances de leitura labial, o jogo prosseguiu após um tempo paralisado.

Para saber tudo sobre o Campeonato Brasileiro, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

A súmula de arbitragem, todavia, apresentou as duas versões das partes ainda durante o jogo. O juiz Bráulio Machado chamou ambos para conversar e, no documento oficial, do duelo, relatou o que Edenilson e Rafael Ramos argumentaram sobre o ocorrido.

“Aos 31 minutos do 2º tempo, no momento em que a partida estava paralisada, fui informado pelo jogador nº 8, da equipe SC Internacional, sr. Edenilson Andrade dos Santos, que seu adversário nº 21, sr. Rafael Antônio Figueiredo Ramos, havia proferido as seguintes palavras para ele: “foda-se macaco”. neste momento paraliso a partida e chamo os jogadores envolvidos para relatarem o que havia acontecido, sendo que o jogador Edenilson Andrade dos santos, confirma as palavras anteriormente citadas e o jogador Rafael Antônio Figueiredo Ramos, afirma que houve um mal entendido devido ao seu sotaque (português) e diz ter proferido as seguintes palavras” foda-se caralho”. devido a distancia dos atletas e barulho da torcida nem eu, nem outro integrante da equipe de arbitragem consegue ouvir ou perceber qualquer das palavras acima citadas. então dou continuidade a partida”, relatou o árbitro na súmula da partida.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top