Lutas

Taila Santos não se intimida com rótulo de ‘zebra’ contra Shevchenko

Divulgação/Instagram Oficial UFC

Taila Santos terá no dia 11 de junho, em Singapura, a luta mais importante de sua carreira no MMA. A brasileira terá pela frente uma das mais dominantes campeãs do UFC, Valentina Shevchenko, pela chance de conquistar o cinturão dos moscas da organização. Além de evitar ter o mesmo destino das outras rivais da quirguistanesa.

Assim como as adversárias anteriores, Taila estará no papel de ‘zebra’ diante de uma lutadora que vem vencendo as desafiantes sem passar grandes dificuldades e reinando na divisão praticamente de forma incontestável. Em entrevista ao Combate, a lutadora afirmou que não se intimida com o fato de todo o favoritismo ser da ‘Bullet’, se espelhando numa lutadora que, justamente, derrotou outra brasileira. Neste caso, Julianna Peña, que bateu Amanda Nunes.

LEIA TAMBÉM

+ Amanda Ribas teve lesão antes de luta no UFC Vegas 54, diz pai da lutadora

– Vendo a derrota da Amanda Nunes para a Julianna, vejo que isso é bem possível. Os dois atletas tem 100% de chances quando sobem lá em cima, enquanto não acabar a luta, os dois tem 100% de chances. É igual no videogame, os dois entram com a barrinha cheia e vai acabando a vida. Eu creio que é possível sim. Vai vencer quem estiver melhor, quem estiver mais focada no treinamento, com seu espiritual, seu físico. Vai ver quem estiver melhor preparado – disse a brasileira.

– Não preciso que ninguém acredite em mim, porque a pessoa que tem acreditar em mim primeiro sou eu. Se eu acredito que vou destronar a Valentina, se eu acredito no meu potencial, isso é o que mais importa. Se fui chamada para estar lá, tenho as minhas chances – completou.

Mesmo sendo a ‘zebra’, Taila Santos não quer deixar de lado o jogo que já escolheu para tentar deter a campeã. Enfrentando uma das grandes lutadoras do UFC na trocação, a catarinense declarou que fará o possível para fazer a luta se dirigir para o chão, onde se vê em maiores condições de conseguir uma vitória que pode fazer história.

– Creio que eu vou levar essa luta para o solo. A Valentina é uma atleta bem dura, tem os pontos fortes dela na trocação. Mas eu creio que, na luta de solo, irei me sobressair. Venho da escola do muay thai, me sinto muito bem na trocação, mas eu vejo os pontos fracos dela no solo e creio que terei sucesso na luta nessa área – afirmou.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top