Corinthians

Tamires e Yasmim minimizam vitória no primeiro jogo e projetam decisão do Brasileiro: ‘Precisamos de mais’

Yasmim e Tamires concederam entrevista coletiva antes da decisão do Brasileirão. Imagem: Repdorução/YouTube.

Titulares do Corinthians, as laterais Tamires e Yasmim concederam entrevista coletiva nesta sexta-feira (24), dois dias antes do jogo decisivo das finais do Campeonato Brasileiro Feminino, contra o Palmeiras. As jogadoras ressaltaram que a vantagem construída na primeira partida foi mínima e revelaram sentir frio na barriga para o duelo.

Lateral-esquerda de origem, mas avançada para a ponta esquerda, Tamires destacou que o Corinthians tem um ligeiro favoritismo por ter vencido por 1 a 0 na ida, mas ligou o sinal de alerta pela força do adversário.

— A gente tem que entrar no jogo pensando que é uma final, que são 90 minutos, nada aconteceu, o que ficou para trás, ficou para trás. Talvez no finalzinho do jogo, faltando um ou dois minutos para acabar, a gente pense nessa vantagem mínima e aí tente trazer o jogo segurando o resultado. Mas o Corinthians é um time que joga para frente, que tenta impor seu estilo de jogo, tem sua maneira de jogar, tem seu plano de jogo — disse a jogadora.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

Yasmim concordou com a colega de equipe e de Seleção Brasileira, e explicou que ainda há espaço para melhorar em relação ao primeiro jogo.

— Essa vantagem é mínima, né. Sabemos que precisamos de mais, sabemos que o desempenho pode ser melhor, é um jogo que vale título, levantar o caneco. Se quisermos isso, nosso desempenho precisa ser melhor do que foi no jogo de ida — afirmou a lateral.

+ CBF define detalhes da final do Brasileirão Feminino Sub-18, disputada entre Corinthians e São Paulo

Mesmo com experiência em outras finais pelo Corinthians, disputas de Dérbis e convocações para a Seleção, incluindo Olimpíadas e Copa do Mundo, Tamires destacou que ainda sente um “frio na barriga” antes da decisão.  

— Eu tenho friozinho todos os jogos, em Dérbi então, a gente sempre sente essa emoção, é mais motivador, a gente tem que estar preparada, concentrada, mas toda vez que eu entro em campo, eu sinto essa coisa boa, porque eu acho que se a gente não sentir isso, a gente não pode jogar futebol, não é isso que a gente pode fazer — revelou. O sentimento foi compartilhado pela colega.

— Eu sinto frio na barriga, principalmente nessa final. É um jogo muito especial pro futebol feminino. É especial para cada uma de nós dentro daquele tempo — completou Yasmim.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top