Ponte Preta

Tiãozinho abre salários atrasados na Ponte Preta: ‘Não estou de braço cruzado’

Crédito: Álvaro Júnior / AA Ponte Preta

Sebastião Arcanjo apareceu na imprensa após sete meses e deu detalhes da reunião com os jogadores da Ponte Preta, nesta quarta-feira pela manhã, no CT do Jardim Eulina.

O presidente da Macaca não criticou o elenco pela recusa de treinar em decorrência dos salários atrasados e garantiu trabalho para buscar os recursos necessários.

LEIA MAIS: Ponte Preta tem 18 atletas com contrato para o Paulistão; saiba quem são

“Tem duas coisas na minha vida que são inegociáveis. Inegociáveis. Uma é a minha reputação, a minha ética e o meu caráter. Eu tenho mais de 30 anos de vida pública nessa cidade. Muito tempo das minhas atividades estavam relacionadas, inclusive, à questão sindical. Então esse é um tema que me incomoda, pô. Não pense as pessoas que eu vou para casa e fico feliz em saber que, no dia seguinte, quando eu chego na Ponte Preta, o cara que abre o portão e a pessoa que faz o nosso almoço e que prepara a nossa alimentação está com o salário atrasado”, declarou.

“Isso me incomoda, e muito. Por isso que eu falo que nós estamos lutando para tentar resolver isso o mais rápido possível. Nós não estamos de braços cruzados esperando que caia do céu uma solução. Nós estamos à busca de uma solução em um cenário em que os recursos estão bastante escassos. Eu não estou falando coisas que a Ponte Preta está inventando”, acrescentou.

SEM PRAZO

Apesar da pressão para angariar o dinheiro suficiente, Tiãozinho não projetou prazo para quitar parte das pendências junto ao elenco e aos funcionários.

“Eu não quero dizer para os jogadores que vou pagar na segunda, na terça, na quarta ou na quinta. Eu tenho essa semana, em que a gente está tentando viabilizar os recursos. Se não tiver condições de pagar na integralidade o que eles estão propondo, nós vamos sentar e mostrar que nós temos uma contraproposta de pagar parcial ou na totalidade. Hoje, nós não temos condições de dizer que vamos pagar amanhã, porque não temos esse recurso”, explicou.

“Nós estamos buscando. Então não teve promessa de pagamento no dérbi. Não tem bicho no dérbi. ACLT está em dia. As premiações foram pagas até o mês de outubro. Pagamos tudo que nós devíamos. A minha ideia é pôr um fim nessa história o mais rápido possível, porque isso me incomoda muito como cidadão, como homem e como pai de família que sou. Sei como é que são as dificuldades de alguém que está sem salário no final do mês para pagar os seus compromissos”, arrematou.

TABELA

Em sétimo lugar com 48 pontos, a Ponte Preta volta a campo pela Série B do Campeonato Brasileiro no domingo, 17 de janeiro, diante do Náutico, no Estádio Moisés Lucarelli, às 16h.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top