Esportes olímpicos

Tiro com Arco: Ane Marcelle e Marcus D’Almeida estreiam em Tóquio, no terceiro dia de competições

Tiro com Arco: Ane Marcelle e Marcus D'Almeida, entram em ação em Tóquio, na madrugada de quinta para sexta
World Archery/Divulgação

Na madrugada antes da abertura dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, no Estádio Olímpico, Ane Marcelle e Marcus D’Almeida entrarão em campo – ou melhor, no Parque de Yumenoshita – em busca de resultados inéditos para o Brasil no Japão. Os arqueiros que estiveram nos Jogos Olímpicos Rio 2016, vão disputar o evento pela segunda vez consecutiva.

+Ao vivo: confira tudo sobre as Olimpíadas no ENM
++ Dias e horários dos jogos e competições das Olimpíadas de Tóquio

Em sua estreia Rio 2016, Ane Marcelle dos Santos avançou em duas rodadas e chegou às oitavas de final, garantindo o melhor do Brasil na história da modalidade em Jogos Olímpicos. Ela conquistou a vaga para Tóquio ao vencer o Pan-Americano da modalidade, em Monterrey, no México.

— Estou muito orgulhosa da minha trajetória, de ser a primeira atleta negra do tiro com arco a disputar os Jogos Olímpicos pelo Brasil. Quero fazer bonito aqui como fiz em 2016 — comenta a carioca, de 27 anos.

A arqueira brasileira estreia no torneio do Japão, nesta quinta-feira (22), às 21h (de Brasília). Mas o caminho que percorreu até chegar a competição, é semelhante ao de muitos atletas brasileiros, foi com obstáculos, mas também de aprendizado.

— No começo da pandemia eu fiquei cinco meses sem atirar, o nosso Centro de Treinamento foi fechado, isso atrapalhou um pouco a preparação. Mas, também, eu tirei um pouco da pressão e pude dar uma relaxada e isso acabou ajudando a conquistar a vaga para os Jogos — contou Ane Marcelle.

Além da prova individual, Ane Marcelle também vai competir no torneio do Japão na modalidade por equipe mista, ao lado de Marcus D’Almeida. A dupla foi medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Lima, em 2019.   

No masculino, Marcus D’Almeida assegurou a vaga Olímpica no tiro com arco após conquistar a medalha de prata no Pan de Lima, em 2019. Em sua carreira, o arqueiro brasileiro foi medalha de prata nos Jogos Olímpicos Nanquim 2014 – no mesmo ano foi vice-campeão mundial júnior – e chegou aos Jogos do Rio 2016.

— Acho que pulei algumas etapas e não cheguei aos Jogos do Rio do jeito que eu gostaria. Hoje eu entendo o que foi disputar uma edição dos Jogos, o tamanho de tudo aquilo, e estou mais maduro. Estou aqui em Tóquio pronto para fazer o que eu treinei, da melhor forma possível, pensando sempre coisas positivas — analisou Marcus D’Almeida.

O arqueiro brasileiro vai competir em Tóquio, na madrugada desta sexta-feira, dia da abertura oficial do evento, 1h da manhã (de Brasília).

Leia mais:
Ana Sátila e Pedro Gonçalves estão confiantes para estreia em Tóquio
Judô do Brasil conhece seus primeiros adversários nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Tiro com Arco: Ane Marcelle e Marcus D'Almeida, entram em ação em Tóquio, na madrugada de quinta para sexta
COB/Divulgação
Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top