Athletico

Um dia para não esquecer: torcedora relembra o clima da Baixada no jogo de ida da final da Copa do Brasil

jogo Athletico x Internacional
Foto: Reprodução/Athletico
— Continua depois da publicidade —

Hoje, 11 de setembro de 2020, faz um ano que o Athletico venceu o Internacional por 1 a 0 no jogo de ida da final da Copa do Brasil. O Furacão jogou bem e Bruno Guimarães marcou o gol, deixando a torcida ainda mais ansiosa para a grande final no Beira-Rio.

É um dia que com certeza está na memória do torcedor atleticano. Para relembrar a data, conversei com Mainara Melo, torcedora fanática e sócia do clube desde 2014, que estava na Arena da Baixada naquela partida.

A CAMPANHA

Ao contrário de 2013, onde o Furacão perdeu a decisão para o Flamengo, a situação em 2019 parecia mais favorável. Com Tiago Nunes no comando, em 2018 a equipe tinha conquistado a Copa Sul-Americana – um título importantíssimo para o clube, o primeiro internacional. O Athletico ainda era bicampeão estadual com a equipe de aspirantes, e tinha ganhado a Levain Cup no Japão.

jogo Athletico x Internacional 3
Foto: Reprodução/Athletico

Mas a campanha não foi tão fácil, porque o time teve adversários difíceis. O primeiro foi o Fortaleza, que se segurou muito bem defensivamente e deu trabalho. O segundo foi o Flamengo, mais uma pedreira: o time carioca empatou em 1 a 1 com o Furacão na Arena da Baixada. No Maracanã, o mesmo placar e decisão nos pênaltis. A estrela de Santos brilhou e o Athletico foi para a semifinal.

E aí não faltou emoção: contra o Grêmio, o Athletico reverteu os 2 a 0 do jogo de ida e venceu na disputa de pênaltis, com Santos sendo decisivo mais uma vez. Aí, o Athletico já mostrava que tinha potencial para ser campeão.

O PRÉ-JOGO

jogo-Athletico-x-Internacional-2
Foto: Reprodução/Athletico

O dia 11 de setembro de 2019 começou cedo para o torcedor atleticano. Não era apenas uma final: era a decisão da Copa do Brasil, título ainda inédito para o clube, que tinha agora um elenco campeão e qualificado.

Após a “remontada” contra o Grêmio uma semana antes, Mainara Melo tinha as expectativas muito altas. Ela acompanha o time fielmente desde 2014, quando se tornou sócia. Em todos os jogos, o sentimento é sempre de ansiedade. Então, no dia da grande final, era difícil não pensar a todo momento no jogo: “todo jogo é assim, mas aquele dia era muito mais especial. Era uma final que a gente tinha grandes possibilidades de ganhar, então era um dia diferente”.

Mainara não trabalhou naquele dia. O jogo era às 21h30, mas ela chegou na Arena da Baixada no começo da tarde e já encontrou uma multidão de atleticanos confraternizando ao redor do estádio.

No horário que o ônibus do elenco chegou no estádio, a torcida nas ruas se preparou para o famoso “Caminho para o Caldeirão”, uma tradição da torcida de receber o time com sinalizadores, luzes, cantoria e muita festa. Mainara estava lá sozinha na multidão. Emocionada, ela define o momento como um dos mais eletrizantes e emocionantes da sua vida:

Você vê todo mundo cantando, todo mundo junto, todos os corações batendo ao mesmo tempo pelo Athletico. Não tinha uma pessoa que não estava cantando, dando o último grau da voz.

O JOGO

E enquanto o horário do jogo ia se aproximando, era muito difícil manter a calma, segundo Mainara.

– Desde que eu acordei, eu já estava ansiosa. Mas quando eu entrei na Arena e fui até o local onde eu ia ficar, de lá para cá meu coração disparou até o último momento do jogo.

A partida foi cheia de emoções. Apesar do gol não sair logo, os dois times jogavam bem. O Athletico pressionava mais, mas o Internacional aproveitava bem o contra-ataque.

Durante o jogo, Mainara apoiou e torceu o máximo que podia, mesmo estando nervosa. Cantou tanto que até saiu da Baixada sem voz. E foram horas tão intensas que a torcedora nem pensou em tirar fotos, de tão focada no jogo.

Passou a primeira etapa e o gol não vinha. Mas aos 12′ do segundo tempo, o Furacão deu o primeiro passo da decisão: Bruno Guimarães e Marco Ruben fizeram grande jogada: o argentino ajeitou para o volante, que bateu de primeira e abriu o placar. O estádio explodiu tanto que choveu cerveja e lanches nas arquibandas. Para Mainara, foi além da emoção.

– Na hora do gol do Bruno, parecia que não ia caber tanto sentimento dentro de mim. Eu fiquei tão feliz, que para mim aquilo nem estava acontecendo, parecia um sonho.

jogo Athletico x Internacional 4
Foto: Reprodução/Athletico

E o jogo seguiu 1 a 0 para o Athletico. Era a primeira etapa de uma decisão de 180 minutos, mas o torcedor tinha muitos motivos para comemorar.

UM DIA PARA FICAR GUARDADO NA MEMÓRIA

Quando Mainara saiu do estádio após a vitória do Furacão, o sentimento era de emoção ao ver o time dando mais um passo rumo a um título importante: “eu nem sei nem explicar. Faltam palavras para explicar aquele jogo, é uma alegria enorme. Eu acho que esse é o atleticanismo que eles [a torcida] falam, que é você sentir de uma forma que seus batimentos do coração estão batendo pelo Athletico”.

Para a torcedora, a emoção da torcida foi ainda maior por ver o grande desempenho que o Furacão teve na campanha:

– Você vê o Athletico jogando muita bola, arrebentando o jogo. E são momentos que você acha que nem vai passar, levando em consideração outros momentos que o Athletico viveu, e você se depara vivendo aquilo. Vendo seu time entre os gigantes e jogando muito bem. É inexplicável.

Esta vitória por 1 a 0 foi só o primeiro passo de uma grande decisão que levaria o Furacão a um dos momentos mais gloriosos de sua história. E para a Mainara, um momento de muito orgulho.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

As últimas

Ao topo