Ceará

Torcida do Ceará faz ‘racha’ beneficente para ajudar viúva grávida

Foto: Arquivo Pessoal

Em meio a tempos difíceis, é cada vez mais preciso as práticas de ações solidárias. Nesta sexta-feira (13), a torcida Alfa Alvinegros, do Ceará, estará promovendo uma racha beneficente para arrecadar fraldas e roupas infantis. A apuração será doada para ajudar uma jovem que está grávida e ficou viúva recentemente. O local do evento será no Alvo Futebol Society, a partir das 19h, no bairro José Walter.

Era uma sexta como essa, no último dia 23 de outubro, quando Diego Amaral “batia uma bolinha” com os amigos quando sofreu um infarte e, mesmo socorrido, veio falecer a caminho do hospital. Aos 26 anos, Diego deixou amigos, familiares e uma esposa grávida. Acompanhando de perto as necessidades que a jovem, que optou por não ser identificada, a torcida Alfa Alvinegros decidiu agir com solidaridade e utilizar um de seus encontros para, além de jogar futebol, ajudar.

A partir das 19h dessa sexta-feira (13), será realizado um racha, como se diz no bom “cearensês”, e cada um dos inscritos irão levar um pacote de fralda e roupas infantis para doar à moça. Ainda bastante abalada pela perda do esposo, ela não estará presente para receber a apuração e um primo irá em seu lugar.

“Após o ocorrido com o Diego, nos sentíamos na obrigação de ajudá-la pela necessidade dela. Ele estava com a gente no momento, foi uma fatalidade. Poderia ter sido em outro local e com outras pessoas, mas ele estava com a gente e trouxemos essa responsabilidade de ficarmos disponíveis para ela no que for necessário”, contou Mauro Jefferson, um dos idealizadores da ação.

Com toda estrutura dada para que as pessoas possam praticar esportes em areninhas e demais campos societys, fica a indignação por parte de muitos pela falta de equipamentos e profissionais de saúde para que, em casos como o de Diego Amaral, possa ser socorrido ainda no local.

“Creio que seja extrema importância ter alguém qualificado e equipamentos de primeiros-socorros em locais de grande movimentação de pessoas fazendo atividades físicas. Não só nos campos societys, mas em academias, crossfit. Muitas vezes a pessoa não estar apta para fazer aquela atividade física e não sabe, aí acontece alguma adversidade e não tem ninguém para socorrer. Muitas vezes o primeiro-socorro é o que salva. O Diego tinha apenas 26 anos, perto de ser pai e teve a vida interrompida em um dia que era para ser de lazer. Abalou a família e todos os amigos”, finalizou Mauro.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top