Futebol Internacional

UEFA promete sanções duras à Barcelona, Real Madrid e Juventus

Divulgação / UEFA

A UEFA divulgou um comunicado oficial nesta sexta-feira (7) confirmando que Barcelona, Real Madrid e Juventus sofrerão “sanções duras” nos próximos meses.

Esta nota oficial foi divulgada para tratar do futuro da Superliga Europeia. Os demais clubes que estavam fazendo parte do projeto receberão uma punição financeira com menos 5% de ganhos com as competições da UEFA na próxima temporada.

A punição mais branda é aplicada para os clubes que já abandonaram formalmente o projeto da chamada Superliga: Manchester City, Chelsea, Liverpool, Arsenal, Manchester Uinted, Tottenham, Milan e Inter de Milão. Esses clubes assinaram documentos garantindo que irão participar apenas de competições europeias organizadas pela entidade.

Os nove clubes farão um pagamento combinado de 15 milhões de euros pelo que a UEFA chamou de um “gesto de boa vontade” para beneficiar o futebol infantil, juvenil e de base. Eles também aceitaram que a entidade retenha 5% das receitas para a próxima temporada em que jogarem nas competições de seus clubes, como citado anteriormente.

Os clubes também concordaram em ser multados em 100 milhões de euros se tentarem jogar novamente em uma competição não autorizada ou 50 milhões de euros se violarem quaisquer outros compromissos com a UEFA como parte do acordo.

Porém, a entidade está prometendo aplicar punições muito maiores aos três clubes fundadores e remanescentes da Superliga: Barcelona, Real Madrid e Juventus.

As três equipes recusaram-se a aprovar o que a UEFA chamou de “medidas de reintegração” e serão encaminhados aos órgãos disciplinares para sanções maiores após apoiarem a nova competição praticamente fechada, o que significa que podem ser banidos da Liga dos Campeões.

O projeto da Superliga implodiu três semanas atrás, depois que os clubes ingleses – Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester United, Manchester City e Tottenham – desistiram dentro de 48 horas após uma reação dos fãs e do governo britânico.

Confira abaixo a íntegra da nota oficial da UEFA

Num espírito de reconciliação, e para o bem do futebol europeu, nove dos 12 clubes envolvidos no projeto denominado ‘Super League’ submeteram à UEFA uma ‘Declaração de Compromisso dos Clubes’ definindo a posição dos Clubes, incluindo o seu empenho para as competições de clubes da UEFA, bem como competições de clubes nacionais.

A UEFA convocou um Painel de Emergência do seu Comité Executivo, que teve em devida consideração o espírito e o conteúdo da Declaração de Compromisso do Clube e decidiu aprovar várias acções, medidas e compromissos assumidos pelos clubes.

A confirmação formal dos compromissos e da forma de reintegração e participação dos clubes nas Competições de Clubes da UEFA foi acordada e assinada pela UEFA e esses nove clubes. As medidas de reintegração aprovadas são plenas e definitivas.

Esses nove clubes reconhecem e aceitam que o projeto da Super League foi um erro e pedem desculpas aos torcedores, federações, ligas nacionais, outros clubes europeus e à UEFA. Também reconheceram que o projecto não teria sido autorizado ao abrigo dos Estatutos e Regulamentos da UEFA.

Em particular, cada clube:

  • reconhece e aceita sem reservas a natureza vinculativa dos Estatutos da UEFA
  • continua empenhado em e participará em quaisquer competições de clubes da UEFA em todas as épocas para as quais esse clube se qualifique por mérito esportivo
  • irá regressar à Associação Europeia de Clubes, que é o único organismo representativo dos clubes que a UEFA reconhece
  • tomará todas as medidas ao seu alcance com vista a encerrar seu envolvimento na empresa estabelecida para formar e operar a Super League e cessar quaisquer ações judiciais relacionadas existentes
  • como um gesto de boa vontade, e em conjunto com os outros clubes, fará uma doação totalizando um total de €15 milhões, a ser usada em benefício de crianças, jovens e futebol de base em comunidades locais em toda a Europa, incluindo o Reino Unido
  • estarão sujeitos à retenção de 5% das receitas que teriam recebido das competições de clubes da UEFA durante uma temporada, que serão redistribuídas
  • concordam em ter multas substanciais impostas se tentarem jogar em uma competição não autorizada (€ 100 milhões) ou se violarem qualquer outro compromisso que tenham firmado na Declaração de Compromisso do Clube (€ 50 milhões)
  • irá fornecer compromissos individuais à UEFA em que todos os princípios e valores estabelecidos no Memorando de Entendimento de 2019 entre a UEFA e a Associação Europeia de Clubes são aceites
  • No futuro, os clubes estão totalmente comprometidos com as novas reformas do Horizonte pós-2024. A pedido dos clubes, a UEFA irá solicitar e apoiar que as respectivas Federações e Ligas Nacionais tenham em devida consideração o espírito, conteúdo e propósito dos compromissos assumidos pelos clubes para com a UEFA.

Palavras de Aleksander Čeferin, presidente da UEFA

“Disse no Congresso da UEFA, há duas semanas, que é preciso uma organização forte para admitir que cometeu um erro, especialmente nestes dias de julgamento pelas redes sociais. Esses clubes fizeram exatamente isso. Ao aceitar os seus compromissos e vontade de reparar as perturbações que causaram, a UEFA pretende deixar este capítulo para trás e seguir em frente com um espírito positivo.

As medidas anunciadas são significativas, mas nenhuma das penalidades financeiras será retida pela UEFA. Todos eles serão reinvestidos no futebol juvenil e de base em comunidades locais por toda a Europa, incluindo o Reino Unido.

Esses clubes reconheceram seus erros rapidamente e tomaram medidas para demonstrar sua contrição e compromisso futuro com o futebol europeu. O mesmo não se pode dizer dos clubes que continuam envolvidos na chamada ‘Super League’ e a UEFA negociará com esses clubes posteriormente.”

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top