Vasco

Vasco de Sá Pinto ainda deve um bom futebol, mas variações táticas e reforços caseiros dão margem para evolução do time

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Apesar da classificação para as oitavas de final da Copa Sul-Americana, o Vasco não apresentou um bom futebol diante do Caracas, da Venezuela. Mesmo com um jogador a mais durante a segunda metade da etapa final, o Cruz-Maltino não conseguiu vencer a partida, deixando o seu torcedor apreensivo até o fim. A preocupação se transformou em alívio e Ricardo Sá Pinto superou o seu primeiro desafio sob o comando do time.

O treinador português fez apenas o seu 4º jogo à beira do campo e ainda não conseguiu repetir a escalação. A título de curiosidade, Sá Pinto teve Benítez em condições de ser titular apenas na partida de ontem e até agora não contou com Germán Cano. Portanto, a tendência é de que a equipe possa render melhor nos próximos compromissos.

A expectativa é de que o artilheiro possa estar em campo no domingo, contra o Palmeiras, em São Januário. Além de Cano, Léo Matos, que não estava inscrito na Sul-Americana, também deve voltar ao time. Com os principais jogadores à disposição, a dúvida deve passar pelo esquema tático a ser utilizado. Contra o Caracas, Ricardo Sá Pinto deixou claro que a escolha por três zagueiros foi uma “questão estratégica”.

— Para ontem serviu. No futuro logo se saberá, para ontem foi estratégico. Temos outra estrutura, essa foi outra que trabalhamos. Podemos eventualmente trabalhar outra, não vamos andar a trabalhar 30 estruturas táticas. Temos uma bem trabalhada já, que é o 4-2-3-1, mas que também precisamos melhorar em termos de sistema tático inicial. Também pode ser no 4-4-2. Podemos mudar para o 4-1-4-1 dependendo do que acharmos.

Ontem, para a entrada do 3º zagueiro, Sá Pinto barrou Vinícius, que foi titular nas últimas três partidas. Além dele, Ribamar e Talles Magno também foram para o banco de reservas, porém a joia ficou como opção por não estar 100% fisicamente. Com três defensores, Yago Pikachu e Neto Borges tiveram liberadade para atacar e criaram as melhores chances do Vasco. O lateral-direito, que estava em desgraça, ganhou alguns créditos com a torcida. Já o lateral-esquerdo recebeu elogios do treinador.

— Neto esteve bem, fez um bom jogo e foi muito inteligente. Foi o primeiro jogo que ele fez comigo de titular, entendeu o que eu queria dele nesse jogo, numa estrutura diferente também. Estou muito satisfeito não só com o rendimento dele, mas com o da equipe.

Ricardo Sá Pinto ainda está em busca da escalação certa e do esquema tático ideal, o que é compreensível pelo curto tempo de trabalho. No entanto, o treinador já começa a ganhar opções dentro do grupo, fortalecendo o elenco com os que lá estão.

Tiago Reis foi o primeiro deles. Miranda se consolidou na defesa, Yago Pikachu deu mostras de que pode render mais avançado e Neto Borges parece ter conquistado a titularidade, aumentando ainda mais a disputa e a concorrência por uma vaga no time. O Vasco é quem tem a ganhar com isso.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top