Corinthians

Vitor Pereira comemora gestão de elenco para duelos importantes do Corinthians

Técnico do Corinthians comemorou a classificação na Copa do Brasil e o rodízio de jogadores para os próximos desafios do Timão

O Corinthians avançou para as oitavas de final da Copa do Brasil depois vencer a Portuguesa do Rio de Janeiro por 2 a 0, na Neo Química Arena, em São Paulo. Os gols da vitória do Timão foram todos marcados na primeira etapa por Júnior Moraes e Giuliano.

Durante entrevista coletiva, o técnico Vitor Pereira explicou a opção de jogar com 3 zagueiros, comemorou a classificação e a gestão do grupo, projetou os próximos desafios da equipe paulista e falou sobre o jeito que o Corinthians vai jogar o resto da temporada.

“Nós trabalhamos com o sistema alternativo no 3-4-3, para ganhar mais largura e inverter melhor as jogadas com o Ádson e Giuliano por dentro. Para não desgastar muito o Fábio, coloquei o Lucas pela esquerda”, explicou sobre a formação utilizada.

O Timão foi a campo com uma linha de defesa composta por Róbson, João Victor e Fábio Santos, e surpreendeu a presença de Gustavo Mosquito pela ‘ala direita’, foi a primeira vez que o jogador atuou naquela posição. A ausência de Rafael Ramos foi explicada pelo português: “Fizemos a gestão dos jogadores. Entrar no 3-4-3 tem a ver com o lateral-direito. O Fágner está lesionado; o João Pedro está lesionado; e não poderia correr o risco de perder o Rafa para o jogo contra o Inter. Deu para gerir um bocadinho”, completou.

O treinador falou sobre o papel de convencer os jogadores de fazerem parte do rodízio que o treinador alvinegro vem implementando no time. Para Vitor, os atletas descansados tendem a render mais nos difícies duelos perante o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro, e diante do Boca Juniors, na Argentina.

“Eu prefiro que eles façam 45 ou 60 minutos com nível, do que 90 sem condições de jogo. Eles têm que entender, a torcida têm que entender para a equipe ser competitiva jogo após jogo”.

Durante a coletiva de imprensa, uma repórter questionou sobre as diferentes posições que alguns jogadores foram escalados, como Piton que atuou na direita, na esquerda e na meia-esquerda. “Eu não estou a pedir alterações na dinâmica, eu estou a pedir alterações nas funções. É preciso entender a polivalência das funções, é preciso evoluir os jogadores para eles compreenderem o sistema de jogo para comportamentos ofensivos e defensivos dentro de campo”, completou.

Sobre os próximos jogos, o treinador disse que gosta do sistema “híbrido ou transformers” para confundir o adversário. “Eu gosto do sistema híbrido ou transformers. O que pretendemos é despreparar o adversário, é eles esperarem algo e entregarmos outro. Para conseguirmos isso, precisamos de maturidade tática. No único treino que fizemos isso, já alcançamos esse estágio ao colocar o Ádson por dentro, em colocar o Gustavo pela direita”.

O treinador enalteceu a Fiel Torcida que lotou o estádio com 35 mil corintianos, em uma partida de quarta-feira, à noite, em um jogo de Copa, e destacou que o time precisa desenvolver a mentalidade vencedora e sempre pensar na vitória para vencer dentro e fora de casa.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top