Paralimpíadas

Yeltsin Jacques quebra recorde e conquista o 100º ouro do Brasil em Paralimpíadas

(ROGÉRIO CAPELA/CPB)

Na noite desta segunda-feira (30) – manhã de terça-feira no Japão -, o sul-mato-grossense Yeltsin Jacques conquistou a 100ª medalha de ouro do Brasil na história dos Jogos Paralímpicos. A marca foi alcançada na corrida dos 1.500m T11, fazendo o tempo de 3min57s60 e quebrando o recorde mundial. A prova, com atletas cegos, aconteceu no Estádio Olímpico de Tóquio, no Japão.

Esta foi a segunda medalha de ouro de Yeltsin, que já havia alcançado o lugar mais alto do pódio nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, ao vencer a prova dos 5.000m classe T11. O Brasil já carrega 13 medalhas nesta edição conquistadas através do atletismo: seis ouros, três pratas e quatro bronzes.

+ Para saber tudo sobre os Jogos Paralímpicos de Tóquio, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram

– Hoje de manhã, o Bira me falou isso e me deu motivação: “Óh, a gente tem chance de fazer história mais uma vez: centésimo ouro do Brasil na história das Paralimpíadas”. Eu falei: “É por duas coisas. Primeiro, para subir o Brasil no quadro de medalhas e, segundo, é para construir essa história” – disse Yeltsin depois da prova, em entrevista ao canal SporTV.

Yeltsin contou com a ajuda de seu guia, Antônio Carlos dos Santos (o “Bira”), para liderar toda a corrida e terminá-la quase dez segundos à frente do japonês Wada, que fez a prova em 4min05s60. Rudakov, do Comitê Olímpico Russo, concluiu a prova em 4min05s55 e ficou com a medalha de bronze.

– A gente saiu do quarto pensando em ganhar a medalha. Tinha em mente em fazer a passagem em 64 segundos, e com isso daria para bater o recorde. Nos últimos 100m metros, o Bira falou para segurar que iria dar recorde – contou Yeltsin Jacques.

Confira o calendário, horários e modalidades das Paralimpíadas de Tóquio

O avião da delegação brasileira já aterrissou no Japão com todos sabendo que faltava pouco para alcançar a marca de 100 medalhas de ouro em Paralimpíadas. Com 87 delas, a expectativa era alta, já que o Brasil não levou menos que 13 ouros nas quatro Paralimpíadas passadas: 14 em Atenas 2004, 16 em Pequim 2008, 21 em Londres 2012 e 14 na Rio 2016. Das 100 medalhas de ouro brasileiras, 83 se dividem entre natação e atletismo: 47 em terra firme e 36 nas águas.

Com este pódio de Yeltsin Jacques, o Brasil já contabiliza 336 medalhas em Jogos Paralímpicos. Somando todas, são 100 de ouro, 119 de prata e 117 de bronze. Em Tóquio, são 13 de ouro, oito de prata e 15 de bronze – totalizando 35 pódios.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

As últimas

To Top