Botafogo

“A gente está em processo de entrosamento, de implantação de mecânica de jogo”, diz Marcelo Chamusca sobre evolução do time

Foto: Reprodução/BotafogoTV

Após o empate sem gols contra o Nova Iguaçu pelo primeiro jogo das semifinais da Taça Rio, o técnico do Botafogo, Marcelo Chamusca, avaliou o desempenho da sua equipe na partida deste domingo. O treinador salientou a ansiedade dos jogadores durante o jogo e evidenciou algumas melhorias na partida feita pelo Glorioso.

– Vi evolução significativa nesse aspecto de recuperar a bola, mas é uma equipe em formação com vários jogadores jovens que vão ficando ansiosos e atropelando em alguns momentos ações do jogo. A questão não é que o time é lento, trocamos passes com velocidade no primeiro tempo, mas a maior parte dos adversários joga contra a gente atrás da linha da bola, tira espaço e dificulta muito o jogo. A gente está em processo de entrosamento, de implantação de mecânica de jogo, de crescimentos e acaba errando passes – apontou Chamusca.

Outro ponto destacado pelo técnico foi a queda de rendimento da equipe na segunda etapa da partida. Marcelo Chamusca afirmou que o Botafogo esteve melhor em grande parte do confronto, conseguindo se impor para cima do Nova Iguaçu e também frisou que seu time não conseguiu ser eficiente para conseguir buscar a vitória.

– Começamos o jogo bem, com imposição, chutando ao gol. Nosso adversário chutou a primeira bola aos 30 minutos, no jogo todo chutou quatro vezes, nós chutamos três vezes mais. Deles, foram duas no gol do Botafogo. Tivemos bom controle no aspecto defensivo. Mas realmente no primeiro tempo fomos melhores no aspecto ofensivo. Por incrível que pareça mesmo utilizando Rickson e o Pedro um pouco mais adiantado, fazendo função do Ricardinho, e o Frizzo, tentando construir com esses três jogadores, com Nascimento, Felipe Ferreira e Marco Antonio, tentando variar jogo de entrelinhas e laterais. Acho que conseguimos construções interessantes, mas faltou eficiência maior, fazer os gols nas oportunidades para ter controle, jogar mais com transição no segundo tempo. Não aconteceu, o adversário se fechou, baixou o bloco, trouxe dificuldade para a gente. Realmente no segundo tempo tivemos performance inferior a do primeiro tempo.

Na coletiva da semana passada, Chamusca lamentou a perda de alguns atletas durante a temporada. Na deste domingo, o treinador falou sobre a possível perda de Rickson, mais um jogador importante para o atual elenco em uma posição carente do Glorioso.

– Jogador está com contrato, não existe orientação para que não seja utilizado. Temos hoje dificuldade na posição, porque temos alguns lesionados, como o Caíque, por exemplo, o Ricardinho, que tem característica muito diferente do Rickson, mas estamos com dificuldade na posição. Rickson conseguiu sustentar bem ali, fazer função que não é muito a dele, de primeiro volante. Ele sempre foi volante mais de saída, mas hoje demos alguns minutos para o Romildo e acho que ele tem tudo para crescer. Mas sobre o Rickson, enquanto o atleta tiver contrato com o clube, estiver disponível, vamos utilizar. Se vai ficar, é questão de análise a cada jogo, a cada semana. Vamos tomar decisões e entender o que é melhor para o Botafogo.

O Botafogo volta à campo no próximo domingo, às 18h, contra o mesmo Nova Iguaçu pelo jogo de volta das semifinais da Taça Rio. Pelo regulamento, a equipe da Baixada Fluminense detém a vantagem do empate em dois confrontos, ou seja, o Alvinegro precisa vencer a partida para avançar para as finais da competição.

Click to comment

Comente esta reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As últimas

To Top